Vice-prefeitos têm celulares clonados em golpe; vítima fez depósito de R$ 3,8 mil

Os dois vice-prefeitos das cidades de Ilhéus, e Feira de Santana, registraram queixas na polícia, nesta quarta-feira (28) alegando que tiveram os celulares clonados, assim como ocorreu com os ministros Osmar Terra (Desenvolvimento Social), Eliseu Padilha (Casa Civil) e Carlos Marun (Secretaria de Governo), todos do MDB.

Vice-prefeito de Feira de Santana publicou uma nota de esclarecimento em sua página do Instagram.

Segundo os relatos das vítimas, após os números de celulares terem sido clonados, mensagens foram enviadas aos contatos deles, por meio do aplicativo WhatsApp, pedindo depósitos bancários. Todos afirmam, no entanto, que não são os responsáveis pelas mensagens. Ainda não há informações sobre os responsáveis.

Um amigo do vice -prefeito de Ilhéus, José Nazal (Rede), chegou uma transferência de R$ 3,8 mil, na terça-feira (27), para uma conta bancária após receber uma mensagem acreditando ser do político. Ele também foi na delegacia após perceber que se tratava de um golpe, segundo informou a Polícia Civil da Cidade.

Ontem, por volta das 19h, meu celular ficou sem sinal e eu não consegui mais entrar no WhatsApp, porque pedia uma senha. Hoje de manhã, o sinal voltou, mas o WhatsApp continuava com problema. Desinstalei o aplicativo e instalei novamente, mas não teve jeito. Foi então que fui na operadora e descobri que meu número tinha sido clonado e que a pessoa que clonou estava pedindo dinheiro para os meus contatos como se fosse eu“, disse José Nazal.

O vice-prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho, também prestou queixa na polícia na tarde desta quarta-feira (28). Segundo Colbert, um estelionatário usou o número dele num aplicativo e enviou mensagens pedindo dinheiro a pessoas ligadas a ele politicamente. O político não informou se alguém chegou a fazer algum tipo de depósito ou transferência.

Os comentários estão fechados.