Vereador de município baiano tem carro incendiado em frente à Câmara

Com o celular no organismo e sem conseguir retirá-lo, o preso precisou passar por uma lavagem intestinal e uma endoscopia no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal, para que o aparelho pudesse ser tirado do seu corpo. “Determinei a ida dele ao Walfredo Gurgel para identificar o que era e retirar o objeto. E ficou constatado ser um mini celular que estava no estômago”, explicou o secretário.
O body scan, responsável por encontrar o aparelho no corpo do apenado, foi instalado neste ano no presídio. “Nós temos nas principais unidades o body scan, que é um equipamento de raio-x que faz a leitura corporal. Se o interno ou a visita tem a suspeita de ter algo no corpo, isso é facilmente identificado no aparelho”, garantiu o secretário Pedro Florêncio Filho. *As informações são do G1
Os comentários estão fechados.