TST ordena retorno dos professores à sala de aula

Uma decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) derrubou liminar que permitiu o retorno da greve dos professores da rede municipal de ensino de Itabuna, na última segunda-feira (14). Nesta quinta (17), a ministra Maria de Assis Calsing reformou a sua decisão anterior, que não enxergava abuso ou ilegalidade na greve. Para a ministra, o equívoco na redação da liminar cautelar da semana passada “não justifica a retomada da greve”. Por isso, determinou o imediato retorno dos professores à sala de aula, sob pena de multa de R$ 50 mil ao Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi), conforme informou o Pimenta. O movimento paredista já havia durado 73 dias, quando foi encerrado por força de uma decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em julho. Assim, os docentes retornaram ao trabalho, mas em estado de greve. A celeuma deve chegar ao fim com esse novo posicionamento do TST.

Os comentários estão fechados.