Empresas campeãs de reclamações

Povo na bronca…

Constantemente a redação do Blog do Tom Ribeiro recebe diversas reclamações contra empresas que não cumprem com as cláusulas do contrato firmado. Dentre elas está a World Service, terceirizada da Direc 7 em Itabuna, que há quase um ano ainda não quitou todos os salários atrasados do seu quadro de funcionários.

Vivemos em pleno Estado Democrático de Direito conforme reza o Art. 1º da Constituição Federal Brasileira de 1988, tendo como garantias fundamentais a dignidade da pessoa humana e os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa. Temos direitos resguardados na própria Carta Magna, no entanto, eles por muitas vezes não são respeitados. As mensagens que são enviadas pelos leitores revelam o desespero de um pai e/ou mãe de família que está com suas contas atrasadas e passando por situações de necessidade por está desempregado(a) e não receber o seu salário há meses.

Por conseguinte a Caixa Econômica Federal é citada como intermediadora de imóveis sem a minima infraestrutura. Após o interessado realizar o funcionamento da casa dos seus sonhos, passa a viver um verdadeiro pesadelo, (confira as fotos). Como é caso de Natielle Soares, que está passando por uma situação lamentável. Apesar de ter levado o caso ao conhecimento da empresa, ela não apresentou uma solução para o problema. O que restou para Natielle foi entrar com uma ação judicial contra a Caixa, todavia, devido a morosidade da Justiça, Soares ficará um bom tempo vivendo sob condições de risco. A Defesa Civil Municipal foi acionada e afirmou que liberaria um aluguel social, mas, até agora nada.

Contrato com terceirizada World Service é cancelado pelo Governo

Contrato com a empresa foi cancelado devido irregularidades clausurais
Contrato com a empresa foi cancelado devido irregularidades clausurais

Nesta quinta-feira (19) foi anunciado pelo Governo o rompimento do contrato com a empresa World Service, contumaz caloteira em trabalhadores terceirizados de escolas públicas estaduais na Bahia que vinham descumprindo cláusulas contratuais. As outras dispensadas são BC, Contrate, LC, Líder, Sal-ttur, Shaleve e Medial.

De acordo com o governo, entre os motivos do distrato está o atraso de salários e o não pagamento de vales transporte e alimentação. O Estado firmou acordo mediado pelo Ministério Público do Trabalho, pelo qual se compromete a regularizar os pagamentos e assegura o emprego dos trabalhadores hoje vinculados às terceirizadas.

No acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT), o governo também se comprometeu a efetuar o pagamento a todas as empresas terceirizadas que estejam com a documentação das faturas em dia. Os repasses serão feitos com a intermediação do MPT e do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza (Sindilimp). As terceirizadas locam mão de obra de merendeiras, porteiros e pessoal de limpeza.

Informações: Pimenta