Transferências externas são abertas na UESC

O processo seletivo para os candidatos interessados em transferir-se para UESC, iniciaram nesta segunda-feira (30). Restando apenas 136 vagas para cursos de graduação. A transferência externa serve para aqueles que se encontram em outras faculdades ou universidades e vislumbrar ingressar na instituição.

As inscrições estão abertas até sexta-feira (04), das 08h às 12h, das 13h às 16h e das 17h às 20h30min, no Protocolo Geral da UESC, e custam R$ 80,00 reais, que deve ser recolhido à conta UESC Nº 991220-7, agência 3832-6, Banco do Brasil. Caso o estudante seja selecionado, ele ingressará no 1° período do ano que vem.

Clique em ‘leia e mais’ e veja os cursos que dispõe de vagas.

Leia mais…

Caminhão da Saúde chega à região para treinamento de profissionais da saúde

A empresa Covidien, líder mundial na fabricação e distribuição de soluções para a saúde, traz a região o projeto “Caminhão da Saúde”, onde permanece na UESC de 27 a 31 de agosto. O projeto consiste em um trailer equipado com simuladores cirúrgicos, produtos de alta tecnologia e um auditório para formação educacional em técnicas de cirurgias mais simples. O trailer percorre o país oferecendo treinamento para médicos residentes de locais com acesso limitado a esses procedimentos.
“A cirurgia minimamente invasiva é uma grande oportunidade para o Sistema de Saúde Pública no Brasil. Procedimentos cirúrgicos, quando realizados com equipamentos de laparoscopia, são significativamente menos agressivos para o paciente, reduzindo as chances de complicações, tempo de recuperação e custos agregados”, disse Antonio Carlos Salles, diretor de Relações Governamentais para a Covidien América Latina.
O projeto faz parte do programa de Assuntos Profissionais e Educação Clínica (PACE, da sigla em inglês) da empresa, que prioriza o investimento no desenvolvimento científico e na preparação de profissionais de todo o mundo. A companhia reconhece o potencial de crescimento no Brasil em muitas áreas, mas identifica uma lacuna significativa na formação médica, especialmente em técnicas de cirurgias minimamente invasivas, menos complicadas.
A necessidade de formação e educação dos profissionais de saúde tem sido um tema de relevância em toda a administração pública e universidades do país, o que motivou a empresa a investir no programa de treinamento com a Unidade Móvel de Educação da Covidien (Umec).
Parceria com a Secretaria de Saúde da Bahia
Após o lançamento oficial na 20ª Feira Hospitalar e uma rápida passagem pelo estado de Mato Grosso do Sul, o caminhão chegou à Bahia em meados de julho, onde planeja um itinerário de nove cidades. Após um mês em Salvador e uma semana nas cidades de Feira de Santana, Juazeiro da Bahia e Jequié, a próxima parada da Unidade Móvel de Educação Covidien (Umec) é a região de Ilhéus, onde permanece de 27 a 31 de agosto na UESC.
Durante esse tempo na cidade, o caminhão estará estacionado ao lado da universidade. Profissionais interessados no programa devem contactar diretamente a instituição, uma vez que é responsável pela agenda de treinamento. Depois de Ilhéus, o Caminhão da Saúde se desloca para a cidade de Vitória da Conquista, onde fica de 03 a 12 de setembro. De lá, ele passa por mais duas cidades do estado: Guanambi e Barreiras. Posteriormente, segue para o Distrito Federal, Goiânia e Ceará.
As instituições educacionais e de saúde que tiverem interesse em levar a Umec para sua região, podem entrar em contato com Angela Freitas, pelo e-mail: [email protected]

Alunos da UESC se revoltam com atraso de pagamento das bolsas

Alunos estão sem receber desde junho.
Alunos estão sem receber desde junho.

Os estudantes da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) estão revoltados com o descaso da universidade desde o mês de junho. Segundo denunciantes, os próprios alunos, a UESC está atrasando o pagamento das bolsas, dinheiro que é de suma importância para os universitários.

A UESC seleciona todo ano cerca de 1060 alunos com carência declarada para serem contemplados com duas bolsas: a bolsa permanência, de R$ 950, com valor estipulado em R$ 270 mensais em oito parcelas (referentes a março – junho e agosto – novembro) e a bolsa moradia, de R$ 80, sendo $ 200 em dez parcelas (referentes a março – julho e agosto a dezembro). Os estudantes carentes precisam desta verba do governo para se manterem na universidade, pois, além de gastos com xerox, passagens de ônibus e livros, muitos alunos moram de aluguel por serem de outro município.

De acordo com os universitários, desde o mês de junho que eles são sabem qual o destino deste dinheiro. Questionados sobre o caso, os setores da UESC informam que a solução não é com eles, e que o repasse depende da Secretaria da Fazenda, que por sua vez, diz que já realizou o repasse da verba para a instituição. Mas os estudantes continuam sem receber o dinheiro das bolsas, e acabam dependendo de ajuda de amigos, familiares e vizinhos.

Calouro da UESC entra em coma alcoólico após trote

Um jovem de 18 anos entrou em coma alcoólico após ser obrigado a ingerir uma grande quantidade de cachaça durante trote na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). O estudante é calouro no curso de Engenharia de Produção.

Segundo o site Bahia online, a vítima precisou ser  levada para um hospital de Ilhéus, onde recebeu atendimento e depois foi liberada.

O jovem revelou que na última sexta-feira (9) teria sido cercado por outros jovens veteranos da universidade e obrigado a ingerir a cachaça, popularmente conhecida como “corote”. O estudante que, segundo parente, nunca havia bebido, não resistiu e desmaiou.

A mãe da vítima irá oficializar uma queixa junto à reitoria da universidade.

UESC é avaliada como uma das melhores universidades estaduais da Bahia

Nesta quarta-feira (24) o jornal Folha de São Paulo publicou o Ranking Universitário Folha (RUF), que mede a qualidade das universidades brasileiras. De acordo com o jornal, para chegar ao ranking, foi criada uma metodologia própria (tendo como referências avaliações internacionais consolidadas), que mescla indicadores de pesquisa e de inovação e a opinião do mercado de trabalho e de pesquisadores renomados.

Para compor o ranking, foram consideradas apenas as universidades mais completas, com ensino e pesquisa em diversos campos do conhecimento. Essas instituições precisam também cumprir exigências mais rígidas que as demais formas de organização de instituições de ensino.

O ranking geral conta com 191 instituições distribuídas em 188 posições, porque houve empates. O jornal usou como critérios: qualidade da pesquisa, qualidade de ensino, avaliação do mercado e o indicador de inovação.

A lista é liderada pela Universidade de São Paulo (USP), seguida pelas federais de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. A Universidade Federal da Bahia ocupa a 12ª posição da lista, que desconsidera se a instituição é federal ou estadual.

Na Bahia, a Universidade Estadual de Santa Cruz só fica atrás da UFBA, na 55ª posição. A UESC é a melhor avaliada entre as estaduais e fica à frente também da federal do recôncavo.

Situada em Ilhéus, a universidade ficou com nota 38,81 na “qualidade da pesquisa”, quando o máximo é de 55; na “avaliação do mercado”, a nota foi de 4,85, quando poderia chegar a 20; no “indicador de inovação”, a UESC ficou com nota 1,16, o máximo seria 5. A nota final da universidade ficou em 44,82. A universidade não foi citada quanto à “qualidade de ensino”. Para chegar aos números, o jornal ouviu especialistas, pesquisadores e diretores de empresas de recursos humanos.

 Se consideradas apenas as universidades estaduais do ranking, a UESC ficaria na nona colocação.

UESC atrasa pagamento de bolsistas

Os estagiários e bolsistas da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) reclamam que não receberam os salários referentes ao mês de junho até esta segunda-feira (22). Segundo a tesouraria da UESC, ainda não há previsão para pagamento, pois o governo do estado não liberou o dinheiro.

De acordo com os estagiários, esses atrasos são frequentes. “Todo mundo recebe, menos a gente. Há sempre um descaso com a nossa categoria”, afirma uma estagiária da Universidade. Enquanto isso, os alunos aguardam a liberação do dinheiro, que é de grande ajuda para os estudantes.