Geddel é exonerado da Caixa após pedido à Dilma pelo Twitter

Geddel usou o Twiiter para pedir exoneração da Caixa (Foto: Ruy Baron VALOR/DF)
Geddel usou o Twiiter para pedir exoneração da Caixa (Foto: Ruy Baron VALOR/DF)

A exoneração de Geddel Vieira Lima do cargo de vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal foi publicada na edição desta sexta-feira (27) do Diário Oficial da União. Geddel Vieira Lima publicou nesta quinta-feira (26) uma mensagem no microblog Twitter apelando à presidente Dilma Rousseff para que o exonerasse do cargo.

Ministro da Integração Nacional no governo Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do PMDB da Bahia e possível candidato a governador do estado, Vieira Lima afirmou na mensagem que o pedido de exoneração se encontra “nas mãos” da presidente.

Geddel Vieira Lima disse afirmou que quer sair da Caixa Econômica porque deve apoiar em 2014 algum candidato que faça oposição ao governo de Jaques Wagner (PT) na Bahia.

“Eu acho absolutamente legítimo querer sair. Eu ocupo a função na Caixa Econômica Federal em função de um tratado politico de 2010, quando apoiei a presidente Dilma devido circunstâncias na política local. As circunstâncias são outras hoje. Vou fazer outro pacto com a sociedade baiana”, detalhou.

Exoneração publicada no Diário Oficial da União (Imagem: Reprodução)
Exoneração publicada no Diário Oficial da União (Imagem: Reprodução)

Ele não quis dizer quem será o candidato que apoiará. Disse que isso será revelado “no momento oportuno”.

Informações: G1

Líder do PSDB quer levar mensagem natalina de Dilma à Justiça

Deputado Carlos Sampaio (PSDB) (Foto: Divulgação)
Deputado Carlos Sampaio (PSDB) (Foto: Divulgação)

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio (SP), anunciou que representará contra Dilma Rousseff na Justiça Eleitoral via Procuradoria-Geral da República. Ele a acusa de usar a máquina governamental com propósitos eleitorais ao enviar mensagem natalina aos servidores públicos federais.

De acordo com Sampaio a iniciativa de Dilma caracteriza “abuso de poder”. “Nenhum outro candidato teria acesso aos endereços de todos os funcionários públicos federais para poder enviar correspondências natalinas similares”, disse, em nota.  E acrescentou: “…a ação ilegal configurou, na realidade, promoção pessoal visando angariar votos para sua candidatura em 2014. E tudo isso foi feito, ao que tudo indica, com dinheiro público.”

Mensagens enviadas por Dilma pelo Twitter (Imagem: Reprodução)
Mensagens enviadas por Dilma pelo Twitter (Imagem: Reprodução)

A presidente escreveu no último dia 23 em seu twitter a seguinte mensagem:”É com carinho e reconhecimento que me dirijo aos servidores federais depois de um ano de trabalho árduo, e também de muitas conquistas. As vozes dos que foram às ruas querem melhores serviços públicos, mais médicos, mais educação, mais transporte de qualidade, mais segurança. Cabe a todos nós, servidores públicos, responder essas vozes”.

Mr. Catra entra na justiça contra contra Facebook e Twitter

O funkeiro Mr. Catra está bastante irritado com os perfis falsos que estão sendo criados nas redes sociais. Alvo de inúmeros fakes, como são chamados os perfis, o cantor decidiu entrar na Justiça contra o Facebook e o Twitter. Segundo ele, as duas empresas permitem que usuários criem perfis com o nome dele sem autorização.

Mr. Catra quer proibir contas fakes em seu nome (Foto: Divulgação)
Mr. Catra quer proibir contas fakes em seu nome (Foto: Divulgação)

“Estou cansado de tanta gente se passando por mim. Já entrei em contato com os responsáveis pelas redes e nada foi feito. Agora coloquei na mão de profissionais competentes pra resolver. Sou um profissional e pai de família e quero respeito. Chega”, avisou o funkeiro.

Catra, que contratou o advogado Marcelo Costa para cuidar do caso, tem dezenas de perfis com o nome dele na web. Segundo ele, as pessoas que controlam as redes sociais acabam prejudicando sua imagem e, por isso, ele quer tirar os perfis do ar.

Presidente Dilma se encontra com criador do Dilma Bolada

Ao retomar sua conta no Twitter após quase três anos sem uso, a presidente Dilma Rousseff comentou, pela primeira vez, sobre suas “escapadas” de moto por Brasília. A reestreia da presidente na rede de microblogs, com a conta @dilmabr, veio em forma de entrevista ao usuário Dilma Bolada (@ DiImabr, com “i” maiúsculo no lugar do “L” para se diferenciar), perfil fake da mandatária operado por Jeferson Monteiro.

Jeferson Monteiro, autor do perfil Dilma Bolada, a famosa personagem fictícia da presidente, encontrou-se nesta sexta (27) com a verdadeira Dilma
Jeferson Monteiro, autor do perfil Dilma Bolada, a famosa personagem fictícia da presidente, encontrou-se nesta sexta (27) com a verdadeira Dilma

No final da entrevista, Dilma Bolada escreveu: “E pra finalizar, vou esclarecer de uma vez por todas a história da moto… ÊTA PRESIDENTA VELOZ E FURIOSA!!!”. A presidente respondeu: “Sim & me diverti pra valer. Será que você tem carteira para dirigir moto? Se tiver, da próxima vez, podemos atuar no 8º Velozes e Furiosas.”

Dilma se refere à série norte-americana “Velozes e Furiosos”, cujo sétimo filme tem lançamento previsto para julho de 2014.

No final de agosto, a “Folha de S. Paulo” publicou duas reportagens sobre as escapadas da presidente para andar de moto por Brasília. A “aventura” foi relatada ao jornal pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB-MA), que revelou detalhes do episódio. Segundo ele, Dilma teria dito que “sentiu melhor os ares de Brasília”.

O passeio teria sido realizado na garupa de uma Harley-Davidson do secretário-executivo do Ministério da Previdência Social, Carlos Gabas, um aficionado por motos.

Ainda segundo Lobão, a presidente teria ordenado ao chefe da Segurança Presidencial, general Marcos Antônio Amaro, para que ninguém a acompanhasse porque ela queria sentir-se livre. À presidente, ele teria respondido que iria acatar a ordem, mas, por segurança, determinou que homens a acompanhassem de longe.

Dilma teria afirmado ainda que “a vida é cheia de riscos” e “tudo que se faz na vida importa riscos”, segundo Lobão.

Fonte: Uol