Caciques do Sul da Bahia pedem audiência com o ministro da Justiça

Foto: Ilustrativa

Na terça-feira (11), quarenta caciques do Sul da Bahia fizeram um ato em frente ao Ministério da Justiça para conseguir audiência com o ministro José Eduardo Cardoso. A região é marcada por conflitos entre fazendeiros e índios que disputam por uma área de 47,3 mil hectares. “Nosso objetivo é falar com o ministro para acelerar os processos fundiários da região, onde há muitos conflitos entre índios e produtores rurais, que têm gerado mortes. Precisamos que o governo tome uma solução antes que mais sangue derrame lá por causa da situação crítica”, disse o cacique Aruã Pataxó.

A área de 47.376 hectares (1 hectare corresponde a 10 mil metros quadrados, equivalente a um campo de futebol oficial) foi delimitada pela Fundação Nacional do Índio (Funai) em 2009. Desde a delimitação, os tupinambás cobram que o Ministério da Justiça emita a portaria declaratória, reconhecendo-a como território tradicional indígena.

Segundo o cacique, as lideranças indígenas permanecerão no local até que sejam ouvidos. “Pedimos audiência há 30 dias com o ministro, mas até agora não teve solução. Vamos ficar aqui até que o ministro nos receba”, disse.

Fazendas são reintegradas por agricultores em Ilhéus

Homens da Força Nacional cumprem reintegração no Santaninha (Foto Gilvan Martins/Pimenta)
Homens da Força Nacional cumprem reintegração no Santaninha (Foto Gilvan Martins/Pimenta)

Nesta sexta-feira (17) quatro mandados de reintegração de posse foram cumpridos por oficiais de justiça e homens da Força Nacional de Segurança em Ilhéus. As propriedades haviam sido invadidas por supostos índios que se declaram tupinambás.

As fazendas pertencem a pequenos produtores de Ilhéus e Buerarema. As reintegrações ocorreram em clima de tranquilidade, apesar da apreensão dos agricultores.

A Polícia Federal está fechando o cerco a comerciantes apontados como receptadores de cargas de cacau e gado na área de 47 mil hectares. No final de semana, um caminhão com gado bovino chegou a ser aprendido pela PF.

Informações do Pimenta