Ministério da Saúde realiza teste rápido de HIV em Ilhéus

Está sendo intensificando em Ilhéus a oferta do Teste Rápido Diagnóstico HIV como parte da campanha “Pra viver melhor, é preciso saber”, patrocinada pelo Ministério da Saúde. O mês de dezembro é marcado pelo Dia Mundial de Luta contra AIDS, que aconteceu no dia 1º.

Nesta sexta-feira (6) a ação foi promovida no Mutirão da Cidadania, realizado no bairro Hernani Sá em parceria com a ONG Nepsi. Na próxima segunda-feira (9) os testes serão oferecidos no posto do Programa de Saúde da Família (PDF) do bairro Nossa Senhora da Vitória.

O mutirão do teste rápido será realizado também na terça-feira (10) no Centro de Saúde Sarah Kubitschek, no Malhado. Além de disponibilizar o Teste Rápido Diagnóstico HIV, serão também distribuídos preservativos e folhetos informativos sobre os cuidados com a prevenção à Aids.

Apesar da expectativa de qualidade de vida dos portadores do HIV ter melhorado, o número de infectados ainda é crescente, sobretudo entre jovens e mulheres. Nesse sentido, o Ministério da Saúde vem adotando campanhas para o enfrentamento da epidemia de HIV/AIDS, incentivando, por meio do contexto da nova política de Aids, o diagnóstico precoce do HIV como uma estratégia que ajude as pessoas a viverem com mais qualidade, além de indicar o tratamento gratuito como um direito garantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Após o mutirão, o teste rápido de detecção do HIV continuará sendo disponibilizado na sede do Centro de Tratamento e Acompanhamento de DSTs e AIDS, que funciona na Avenida Canavieiras, 253, no térreo do prédio da 6ª DIRES, centro da cidade, em horário integral.

Jovem é atropelada durante teste de autoescola no Detran

Ilana Lima Marques, de 20 anos, foi atropelada por um aluno de autoescola na manhã desta sexta-feira (6). O acidente aconteceu no pátio do Detran de Itabuna quando o aluno fazia um teste de direção, perdeu o controle e atingiu uma aluna que aguardava no local para realização da mesma prova.

Ilana foi socorrida no local (Foto: Ednaldo Pinto)
Ilana foi socorrida no local (Foto: Ednaldo Pinto)

Segundo o instrutor responsável, o aluno pode realizar o teste prático sozinho, que já tinha passado por aulas teóricas e práticas.

A vítima atropelada é moradora do bairro de Fátima, e está fazendo aniversário nesta sexta-feira. O condutor do carro ficou assustado após o acidente.

Vacina brasileira contra a dengue será testada no país

No mês de outubro o Instituto Butantã, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), inicia os testes em seres humanos de uma vacina contra a dengue. A vacina está sendo desenvolvida para combater em uma única dose os quatro tipos da doença já identificados no mundo. Segundo Alexander Precioso, diretor de Ensaios Clínicos do Butantã, nenhum outro país tem uma vacina como essa.

A vacina começa a ser testada em outubro / Imagem: Divulgação
A vacina começa a ser testada em outubro / Imagem: Divulgação

A  vacina começou a ser desenvolvida em 2006 juntamente com os institutos nacionais de Saúde dos Estados Unidos. Os vírus foram identificados no país norte-americano e, posteriormente, transferidos para o Butantã, em 2010.

A técnica utiliza o chamado vírus atenuado. “Isso ignifica que o próprio vírus da dengue é modificado para que seja capaz de fazer com que as pessoas produzam anticorpos, mas sem desenvolver a doença”, explicou Precioso. Leia mais…

Ministério da Saúde quer incluir teste de HIV nos exames de rotina

O Ministério da Saúde pretende pedir ao Conselho Federal de Medicina (CFM) que elabore uma recomendação para que todo médico sugira o teste do HIV a seus pacientes com vida sexual ativa. “Aumentaria muito as testagens e, consequentemente, diminuiria as pessoas que têm o HIV, não sabem e continuam transmitindo. Não podemos ter alguém sexualmente ativo sem ter feito o teste”, argumenta Jarbas Barbosa, secretário de vigilância em saúde do ministério.

A intenção é despertar para a importância do teste, minimizar resistências e alavancar a busca pelos brasileiros que desconhecem ter o HIV. Pelas estimativas do governo, um quarto dos 530 mil infectados no país não sabe que tem o vírus.

Essa solicitação precisa ser oficializada, mas o primeiro contato com o CFM, há alguns meses, foi positivo, de acordo com Barbosa. O conselho afirmou que vai esperar o pedido formal antes de se manifestar.

O momento, no entanto, é de tensão entre entidade e governo. O conselho rejeita a política do governo para atrair médicos estrangeiros. E anunciou ontem seu afastamento de comitês no âmbito do governo federal.

O pedido ao CFM se soma a novas estratégias contra a Aids que devem ser desenvolvidas pela recém-empossada gestão do departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do ministério.

Uma das estratégias, diz Barbosa, será oferecer o tratamento com antirretrovirais a infectados que pertencem a grupos de maior vulnerabilidade, como jovens gays e prostitutas, independentemente do nível de comprometimento imunológico.

Hoje o tratamento é ofertado apenas quando exames apontam um determinado comprometimento.

O ministério também pretende integrar implantar uma avaliação para identificar eventuais dificuldades de acesso ao teste de HIV e atrasos no início do tratamento, explica Barbosa.