Transsexual tem pedido de nome social negado em Salvador

Na última terça-feira (15) a presidente da Associação de Travestis de Salvador (Atras) teve o seu pedido para usar o nome social negado pela Justiça. Ela informou ao site Bahia Notícias não entende os motivos para não ser contemplada. “Todo mundo me conhece como Millena Passos. Em várias cidades a mudança já ocorre, como é o caso de Itabuna. Fiquei muito arrasada”, confessou.

Milena Passos teve mudança de nome negado (Foto: Reprodução/Facebook)
Milena Passos teve mudança de nome negado (Foto: Reprodução/Facebook)

Millena contou que, como é a segunda vez que a sua solicitação é recusada, enxerga a reação do Judiciário com certa desconfiança. “Eu sou uma mulher transexual. Não posso afirmar que é transfobia, mas, indiretamente, é, né?”, indagou. De acordo com a líder da Atras, outros transexuais já foram privados do direito de serem chamados pelos nomes adotados. “Dessa vez eu e outras meninas entramos com a ação. Nossos processos foram julgados independentemente, mas sei de outras pessoas que também não tiveram uma resposta positiva”, afirmou.

No entendimento de Millena, a mudança legal de nome, além de elevar a autoestima, representa uma forma de diminuir o preconceito. “Seria um grande ato de reparação. Nós já sofremos muito com a transfobia. Não vou desistir, se possível, até vou ao Supremo Tribunal [Federal]”, ameaçou. A Atras organiza uma manifestação que deve ocorrer na próxima terça-feira (22) em frente ao Fórum Ruy Barbosa em Salvador.