Dispositivo ajuda alunos com deficiência auditiva

A Secretaria Municipal da Educação e o Centro de Saúde Auditiva de Itabuna (Cesai) começam a desenvolver este mês o Projeto Quem Ouve Bem Aprende Melhor, que prevê a concessão do dispositivo denominado Sistema de Frequência Modulada Pessoal (FM), visando melhorar a qualidade da audição dos alunos usuários de aparelhos de amplificação sonora. O objetivo é a elevação do nível de aprendizagem entre os alunos com deficiência auditiva, atendidos nas escolas da Rede Pública Municipal de Ensino de Itabuna.

A iniciativa, que está sendo implementada em parceria e com recursos do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação, foi discutida na manhã desta quarta-feira (7) entre os representantes da Secretaria da Educação e diretores do Cesai, instituição responsável pela triagem, prescrição e dispensação do procedimento. Serão atendidos pelo programa estudantes com idade entre 04 a 17 anos. Além dos alunos das escolas públicas municipais, também serão beneficiados estudantes da rede particular de ensino.

A secretária municipal da Educação, Dinalva Melo do Nascimento, explicou que inicialmente os pais e/ou responsáveis pelos alunos com deficiência auditiva e usuários de Aparelho de Amplificação Sonora Individual e/ou Implante Coclear devem procurar a direção de suas respectivas escolas, o mais breve possível, para que a unidade escolar possa intermediar o atendimento junto ao Cesai. Além da concessão do dispositivo, o Centro de Saúde Auditiva está encarregado pelo treinamento dos pais e dos professores.

Dinalva Melo ressalta que além destes estudantes que já são usuários de aparelhos ou implantes, o Projeto do Cesai irá também identificar o perfil audiológico de crianças e adolescentes das escolas municipais, visando detectar alunos com alterações auditivas para posterior encaminhamento para exames mais detalhados, que poderão indicar a necessidade, ou não, do uso de aparelhos com o Sistema FM.

“Hoje, a deficiência auditiva acarreta sérios prejuízos à aprendizagem escolar, principalmente as aspectos como leitura, escrita e apreensão dos conteúdos, dificultando além do acompanhamento da rotina escolar a interação dos alunos com os demais membros da comunidade escolar. Esperamos que a partir da implantação deste projeto estes estudantes possam avançar nestes aspectos”, frisou Dinalva.

Sistema FM

Composto de transmissor com microfone para captação do sinal por Frequência Modulada (FM) e receptor com adaptação para entrada de áudio do AASI ou IC, o Sistema de Frequência Modulada Pessoal (FM) é utilizado em conjunto com o aparelho auditivo e/ou implante coclear reduzindo significativamente as interferências em ambientes ruidosos, reverberantes (com eco) ou quando a fonte sonora está distante.

O Sistema FM é composto por duas partes: um transmissor que capta o sinal da fonte sonora e o envia, sem fio para um receptor acoplado ao aparelho auditivo ou implante coclear. O uso do aparelho melhora a inteligibilidade da fala, aumentando, aproximadamente, 36% em crianças o reconhecimento da fala no ruído. O transmissor também pode ser conectado em equipamentos eletrônicos como TV, iPOD, MP3 e Celular.

Hospital de Base ganha usina própria de gás medicinal

O Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães firmou novo contrato para abastecimento de gás medicinal e garantiu economia de mais de 70%, sendo que o gasto anterior era de R$ 100 mil por mês, mas agora, com o aluguel – e a futura compra, já em andamento – os custos caem para R$ 25.500. O equipamento da usina para produção de oxigênio e gás medicinal já está sendo instalado e produzirá uma quantidade maior do que a utilizada atualmente.

“Tudo é informatizado, a usina tem uma gerência autônoma e a segurança dos pacientes será total. A empresa tem todos os certificados, estamos satisfeitos. Até o final de semana estaremos com produção própria”, explicou o presidente da Fundação de Assistência à Saúde de Itabuna (Fasi), Paulo Bicalho.

Ele explica que a usina garante independência em relação às empresas internacionais ainda fornecedoras de oxigênio para o hospital. “Isso significa um direcionamento da gestão do Hospital pela economicidade, para ter mais recursos para aplicar em outras melhorias, conforme a política administrativa orientada pelo prefeito Claudevane Leite”, disse.

Nova emergência aguarda treinamento

Paulo Bicalho esclareceu que durante o mês de agosto a Emergência, já totalmente reformada fisicamente, está em fase de informatização, para fazer parte do programa Cidade Digital. “Na próxima semana, o sistema de fibra ótica estará pronto. A resposta da nossa internet era demorada. Sairemos do cabeamento antigo e assim teremos velocidade compatível com a exigência dos procedimentos”, afirma.

Além disso, desde os maqueiros até os médicos, todo o pessoal está passando por treinamento para dar maior atenção aos pacientes.

Quanto ao recadastramento dos servidores da FASI, Bicalho avaliou como altamente positivo. “Tivemos uma cobertura de 92%, mas temos pessoas afastadas e em férias, isso está sendo composto”. Bicalho explicou que agora é possível saber onde cada funcionário está desenvolvendo suas atividades, cada setor e horário. “Isso foi muito bom para a organização do Hospital. Tudo está completo para nossas necessidades” concluiu.