‘Toplessaço’ tem assédio masculino e poucas manifestantes no Rio

A organizadora de manifestação esperava reunir pelo menos 1 mil pessoas na praia de Ipanema na manhã deste sábado (Foto: Mauro Pimentel / Terra)
A organizadora de manifestação esperava reunir pelo menos 1 mil pessoas na praia de Ipanema na manhã deste sábado
(Foto: Mauro Pimentel / Terra)

​Era para ter sido o primeiro topless em massa na praia de Ipanema, mas a convocação atraiu mais jornalistas e homens oportunistas do que mulheres. Comentários desrespeitosos e de cunho machista não faltaram no primeiro “toplessaço” do Rio de Janeiro – organizado neste sábado (21) para marcar o primeiro dia do verão e fazer campanha para que a prática deixe de ser crime e seja vista como natural. Mas as reações na areia mostram que a realidade ainda está muito longe disso.

As primeiras mulheres que se arriscaram a tirar a parte de cima do biquíni foram rapidamente cercadas por dezenas de fotógrafos e cinegrafistas, muitos gritando para que olhassem em sua direção para fazer a foto. Muitos homens reunidos no local perguntavam “cadê as oito mil?”, em alusão às mulheres que haviam confirmado presença no Facebook. Outros se dirigiam às mulheres vestidas dizendo: “tira! É pra tirar!”. Um vendedor de chá no local gritava que aquele era “o mate do peitinho gelado”.

O assédio fez com que muitas mulheres desistissem de participar. A estudante Julia Anquier, 20, diz que não se sentiu confortável para fazer topless. “Estou chocada, muito decepcionada. É um estupro da mídia e dos homens que estão aqui. É muito baixo nível”.

O evento estava previsto para começar às 10h, na altura da Rua Joana Angélica, em Ipanema. O calçadão logo ficou tomado por jornalistas e por homens sentados para assistir. Ao ver a plateia que as esperava, algumas mulheres foram embora sem sequer por os pés na areia.

Informações: Terra Notícias

Mulheres agentes de endemias reclamam dos abusos de moradores em Itabuna

Mulheres denunciam abusos de moradores (Foto: Divulgação)
Mulheres denunciam abusos de moradores (Foto: Divulgação)

Nesta segunda-feira (16) mulheres que trabalham como agentes de endemias de Itabuna realizaram uma denúncia. Elas afirmam que sofrem assédio sexual e moral ao visitar residências sozinhas.

De acordo com uma mulher, que não quis se identificar, ela foi abordada por dois homens e teve o portão da casa fechado quando ela estava para sair após a visita de controle à focos de dengue. “Eu me vi desprotegida, ainda bem que eles me soltaram”, relatou ao blog Plantão Itabuna.

Dermatologista é preso em Porto Seguro acusado de abuso sexual

Acusado Wesley Ferraz (Foto: Divulgação/Radar64)
Acusado Wesley Ferraz (Foto: Divulgação/Radar64)

Na tarde desta sexta-feira (29) o dermatologista Wesley Ferraz, de 56 anos, foi preso em Porto Seguro suspeito de abusar suas pacientes sexualmente. Segundo informações da Delegacia Especial de Proteção à Mulher (Deam) a denúncia partiu de uma das vítimas. A Deam já ouviu seis mulheres de idades e classes diferentes e ainda está a procura de outras que aceitem depor.

A Deam informou ainda que um das pacientes interrogadas sofreu o crime há 15 anos e que ele não era denunciado por constrangimento das vítimas. Além de Porto Seguro, o médico atuava nas cidades de Eunápolis, Arraial da Ajuda e Teixeira de Freitas, todas na região sul.

O médico teve mandado de prisão expedido por abuso sexual e foi conduzido para o presídio de Eunápolis. A polícia continua investigando o caso à procura de mais pacientes que tenham sofrido abuso. Os funcionários das clínicas ainda não foram ouvidos. O acusado foi preso no próprio consultório.

Canavieiras: Mulher morde e arranca pedaço da orelha de outra

O clima ficou tenso na noite de sexta-feira (1), em um bar localizado no município de Canavieiras, há cerca de 145 km de Itabuna. Segundo informações colhidas no Isto é Notícias, duas mulheres iniciaram uma discussão dentro do estabelecimento e resultou que uma delas mordeu a orelha da outra arrancando um pedaço.

Pessoas que estavam em volta não interviram na situação e assistiram de camarote uma simulação de canibalismo estimulada por álcool e ódio. A confusão acabou após vizinhos apartarem as duas.

A PM foi informada e esteve no local para tomar as devidas providências. A mulher lesionada foi hospitalizada e passa bem.

Os vizinhos afirmaram que brigas no bar são constantes.

Duas mulheres brigam na avenida do Cinquentenário

Na manhã desta quarta-feira (30) duas mulheres brigaram na avenida Cinquentenário, em Itabuna. Na briga, uma vendedora de chips de celular chegou a receber cadeirada e as duas se enfrentaram, chamando a atenção de quem passava por perto.

Mulher dá cadeirada em outra (Foto: Ari Rodrigues)
Mulher dá cadeirada em outra (Foto: Ari Rodrigues)

A briga foi apartada por vendedores das proximidades.

As duas se agridem (Foto: Ari Rodrigues)
As duas se agridem (Foto: Ari Rodrigues)

Flagrantes de Ari Rodrigues e informações do Pimenta.

Cinto de segurança: Acidente de carro não termina em tragédia

Na tarde de sábado (28) um acidente de carro quase termina em tragédia. Duas mulheres estavam em um veículo indo em direção à Vitória da Conquista em alta velocidade quando a motorista perdeu o controle próximo a curva do calcário Del e bateu em uma árvore, capotando o carro logo em seguida. As vítimas usavam o cinto de segurança e tiveram ferimentos leves. No carro havia ainda um cachorro, que saiu ileso. Elas foram socorridas pelo SAMU e passam bem.

Veículo ficou todo amassado / Foto: LeoPhotoArt
Veículo ficou todo amassado / Foto: LeoPhotoArt

O acidente aconteceu na BR que liga Itororó à Itapetinga.

Mulheres tentam dar golpe em agência bancária

Na tarde desta quinta-feira (13) duas mulheres foram detidas após tentarem praticar estelionato na agência da Caixa Econômica Federal da praça Camacan, em Itabuna. Segundo o gerente, que solicitou a Polícia Militar, as senhoras Maria Luiza Clementina dos Santos e Maria José Lopes Palmeira estavam no banco para fazer a senha da conta de pagamento de benefícios de uma mulher identificada como P. S. de J., no qual foi apresentada uma identidade em nome da titular da conta, mas com a foto de Maria Luiza. O gerente revela que essa conta possuía o valor de R$ 19 mil reais. Em um certo momento, o celular de Maria começou a tocar e o condutor da operação pediu que a senhora atendesse o celular com o viva voz ativado, quando descobriu então que o suposto mentor do crime pediu que a mulher o encontrasse na praça do bairro São Caetano, perguntando também se o golpe havia dado certo. A equipe da PM se dirigiu até a praça, e ao identificarem a voz de quem se travava, conduziram até a delegacia Valdecy de Almeida da Gama, acompanhado por Domingos João dos Santos.