Operação Cabruca apreende drogas, armas e conduz 8 pessoas em Camacan

Camacan – Uma operação conjunta entre Policiais Militares e Civis resultou na apreensão de grande quantidade de entorpecentes.

Cerca de 20 viaturas e 50 policiais participam das diligências no município.

Atualizada às 12h45

Informações dão conta que, dois criminosos tombaram durante confronto com os policiais. Aguarde maiores informações a qualquer momento.

Atualizada às 16h07

Uma mega operação deflagrada pelo Ministério Público de Camacã desencadeou uma série de prisões e apreensões durante esta sexta-feira (21). Policiais Civis e Militares participaram de diversas diligências onde mandados de busca e apreensão eram cumpridos.

A ação contou com a participação de 110 policiais, 30 viaturas e 10 delegados na linha de frente, no comando das investigações. Foram apreendidas armas de fogo e aproximadamente 2 kg de drogas, incluindo maconha, crack e cocaína.

Atualizada às 17:23

Oito pessoas foram presas, são elas: Ivoneide Santos Mendes, de 28 anos, Lindiene de Jesus Oliveira, de 34, Arionaldo Santos de Jesus, Roniere Santos Ribeiro Leal, de 21, Mateus Costa Nascimento, 18, Fredson de Jesus Bispo, 21, Luan Sidnei Rios de Oliveira, 18 e uma menor grávida de 17.

Um dos detidos.
Um dos detidos.

Todos foram detidos por tráfico ou associação no transporte dos entorpecentes.

Educação e acolhimento de crianças e adolescentes são pautas do Congresso Integrador do Ministério Público

Com o tema “Um olhar mais atento sobre as instituições de acolhimento e unidades de internação e semiliberdade de adolescentes”, a promotora de justiça, Eliana Bloizi, ministrou palestra em evento do Ministério Público. As atividades, que aconteceram no auditório da UESC, de quarta-feira (23) a sábado (26) integram o III Congresso Nacional Diversidade, Ética e Direitos Humanos/ I Congresso Integrador Nacional do Programa o MP e os Objetivos do Milênio/ a XVI Semana Jurídica da Universidade Estadual de Santa Cruz.

Eliana Bloizi – Promotora de Justiça.

Eliana Bloizi destacou que são necessárias mudanças nas metodologias e normas legais que regulamentam o acolhimento de crianças e adolescentes. “Estamos sempre trabalhando com as consequências, como a criminalidade e a falta de instrução, só que é imprescindível que direcionemos o nosso foco de trabalho para a causa. Percebemos, através dos estudos apresentados, que existem problemas na sociedade que precisam ser tratados emergencialmente, a exemplo dos vícios em drogas, violência contra a criança, a falta de profissionalização e boa educação para aquelas crianças e adolescentes que estão institucionalizados”, destacou. Ainda segundo a promotora, “os acolhidos precisam ter dignidade e direitos preservados, para que eles possam tornar a sociedade mais saudável”, acrescentou.

Professor Roberto Macedo.

Na oportunidade, o professor da UFBA, Roberto Sidnei Macedo discutiu amplamente a aprendizagem infantil e lançou o livro “Devir e Educação: Afirmação do Direito da Criança (Aprendizagem) Formação”. O ciclo de eventos encerrou na manhã de sábado (26), no auditório da UESC, com a premiação da “Melhor Escola Pública do Ano”, promovida pelo programa O Ministério Público e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e a Fundação Escola Superior do Ministério Público.

Aberto ciclo de eventos do Ministério Público, em Ilhéus

Foram abertos oficialmente, na noite de quarta-feira, 24, o III Congresso Nacional Diversidade, Ética e Direitos Humanos; o I Congresso Integrador Nacional do Programa o Ministério Público e os Objetivos do Milênio e a XVI Semana Jurídica da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

A série de eventos, que é composta por oficinas, mesas de discussões e palestras, se estende até sábado, 26, no hotel Praia do Sol e na UESC, em Ilhéus.

As atividades visam discutir, refletir, socializar, estimular e fortalecer os Direitos Humanos, com o foco na plataforma desenvolvida pela Organização das Nações Unidas (ONU), resumida nos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

O promotor de justiça, Clodoaldo Anunciação, idealizador do evento, falou sobre as expectativas. Nossa meta, de integrar instituições e pessoas, está sendo alcançada. Conseguimos reunir consagrados representantes do poder judiciário, instituições filantrópicas e educadores, além de ter conseguido grande participação popular. Com essa articulação, unimos a academia com o cidadão, visando potencializar a efetivação dos direitos humanos.

Leia mais…

17 milhões já foram gastos na obra do Centro de Convenções de Itabuna, e até agora nada!

Audiência na Câmara de Vereadores. Promotor Inocêncio Carvalho, Advogado Andirlei Nascimento, e vereadores.
Audiência na Câmara de Vereadores. Promotor Inocêncio Carvalho, Advogado Andirlei Nascimento, e vereadores.

O inacabado Centro de Convenções de Itabuna já recebeu recursos públicos no montante de R$ 17 milhões, segundo recibos que constam nos autos de ação civil pública movida pelo Ministério Público Estadual contra o ato de reversão do terreno da obra para o patrimônio do ex-prefeito Fernando Gomes.

A reversão, prevista em cláusula do contrato por meio do qual o ex-prefeito doou a área ao município, é questionada pelo MP, que vê ilegalidade no ato. A medida foi determinada em agosto de 2012, pelo então prefeito José Nilton Azevedo. Não houve publicação do decreto nem consulta prévia à Câmara de Vereadores.

Houve um despojamento de bem público, no qual já foram gastos R$ 17 milhões, sem falar no valor do terreno”, declarou o promotor Inocêncio Carvalho, na audiência pública realizada na tarde desta sexta-feira (18), no plenário do legislativo municipal, para discutir a situação das obras. Carvalho observou que, mesmo diante de uma cláusula de reversão prevista contratualmente, a alienação de um bem público depende de autorização legislativa.

Segundo o promotor, hoje o Ministério Público não pode tomar nenhuma medida para exigir que o Estado conclua as obras, já que o terreno voltou a integrar o patrimônio de Fernando Gomes. Na audiência, o médico Amilton Gomes, afirmando que falava em nome do político, disse que Fernando Gomes estaria disposto a desistir da reversão. Carvalho declarou que, caso isso ocorra, o MP desistirá da ação.

RÉUS

Leia mais…