Mulher acusa médico de arranhar o seu carro no Jardim Vitória

Itabuna – A nossa redação foi informada a cerca de um fato no mínimo constrangedor que se passou na rua Pernambuco, situada no bairro Jardim Vitória. Era pouco mais das 14h00 desta sexta-feira (8), quando uma moradora chegava em sua residência e como de costume estacionou o carro em frente à sua casa.

Passaram-se alguns minutos ela ouviu gritos de um homem que pedia, ou melhor, ordenava, que a mesma retirasse o veículo dela, pois estava atrapalhando a passagem dos seus clientes. A mulher pouco deu importância aos gritos do médico, imaginando ela que estava tudo bem. No entanto, ao sair de casa deparou com diversos arranhões em seu automóvel.

Revoltada, a moradora deslocou-se até a Delegacia da cidade, onde registrou um boletim de ocorrências sobre o ocorrido. Confira o desabafo na íntegra:

ESTOU AQUI PARA APRESENTAR MINHA INDIGNAÇÃO CONTRA O MEDICO ANDRÉ LUIS ESPIRITO SANTO ROCHA QUE DO NADA ACHANDO SE NO DIREITO DE ARRANHAR UM CARRO NA RUA PERNAMBUCO E PELO SIMPLES FATO DE SER MÉDICO ACHA QUE VAI FICAR IMPUNE. MAS ENQUANTO HOUVER JORNAIS REVISTAS E MEIOS DE COMUNICAÇÃO NÃO VOU ME CALAR DIANTE DE UM FATO TÃO ABSURDO. SERA QUE ESTE MEDICO TEM CONDIÇOES DE SER UM PSIQUIATRA DE CRIANÇA.POIS É ELE SE DIZ MEDICO DO CAPSE QUE FUNCIONA NO JARDIM VITORIA EM ITABUNA BAHIA.”

Médico é encontrado morto em Porto Seguro

Adoney foi encontrado morto pendurado por uma corda (Foto: Reprodução)
Adoney foi encontrado morto pendurado por uma corda (Foto: Reprodução)

Na manhã deste sábado (18) foi encontrado morto o médico Adonay Cavalcante, de 34 anos, no condomínio onde morava no bairro de Taperapuan, orla norte de Porto Seguro. O corpo foi achado por uma vizinha pendurado com uma corda em uma pilastra, o que indica suicídio.

Segundo moradores, ninguém ouviu barulho durante a madrugada. Vizinhos contam ainda que Adonay era muito fechado e não costumava falar com ninguém. Ele era natural de Bom Sucesso, em Rondônia, e trabalhava na rede pública de saúde do município de Santa Cruz Cabrália, e estava na região há menos de um mês.

De acordo com a polícia, o último lugar que o médico trabalhou foi na cidade do Rio de Janeiro. Os agentes da Polícia Civil ainda não conseguiram localizar familiares e nem pessoas que conviviam socialmente com o médico. O corpo está no Instituto Médico Legal.

Informações do Radar64

Dermatologista é preso em Porto Seguro acusado de abuso sexual

Acusado Wesley Ferraz (Foto: Divulgação/Radar64)
Acusado Wesley Ferraz (Foto: Divulgação/Radar64)

Na tarde desta sexta-feira (29) o dermatologista Wesley Ferraz, de 56 anos, foi preso em Porto Seguro suspeito de abusar suas pacientes sexualmente. Segundo informações da Delegacia Especial de Proteção à Mulher (Deam) a denúncia partiu de uma das vítimas. A Deam já ouviu seis mulheres de idades e classes diferentes e ainda está a procura de outras que aceitem depor.

A Deam informou ainda que um das pacientes interrogadas sofreu o crime há 15 anos e que ele não era denunciado por constrangimento das vítimas. Além de Porto Seguro, o médico atuava nas cidades de Eunápolis, Arraial da Ajuda e Teixeira de Freitas, todas na região sul.

O médico teve mandado de prisão expedido por abuso sexual e foi conduzido para o presídio de Eunápolis. A polícia continua investigando o caso à procura de mais pacientes que tenham sofrido abuso. Os funcionários das clínicas ainda não foram ouvidos. O acusado foi preso no próprio consultório.

População Itajuipense fica sem atendimento médico

A população de Itajuípe está pedindo socorro pela saúde pública. Uma manifestação foi realizada para reivindicar salários atrasos e uma equipe médica presente no Hospital Dr. Montival Lucas, que está quase sendo fechado por falta de atendimento. A prefeitura provavelmente recebe o dinheiro, mas não é aplicado adequadamente…

Libertado da prisão médico condenado pela morte de Michael Jackson

O médico Conrad Murray condenado por homicídio culposo (involuntário) na morte do cantor Michael Jackson em 2009 foi libertado da prisão nesta segunda-feira (28) após cumprir dois anos da sentença de quatro anos de detenção. As informações são da agência Associated Press.

O médico Conrad Murray, acusado pela morte de Michael Jackson, em foto de 2011 (Foto: Divulgação)
O médico Conrad Murray, acusado pela morte de
Michael Jackson, em foto de 2011 (Foto: Divulgação)

Ele estava preso em uma cadeia em Los Angeles e deixou a prisão logo após a meia-noite, segundo a polícia local. Uma mudança na lei da Califórnia permitiu que seu tempo de prisão fosse reduzido.

Muray, que atuava como cardiologista, foi considerado culpado em 2011 por causar a morte de Michael Jackson em junho de 2009 ao dar ao cantor uma overdose do potente anestésico propofol para ajuda-lo a dormir. Michael estava no meio de preparações para uma série de shows e Murray atuava como seu médico particular.

“Ele está preparado para continuar lutando enquanto for preciso”, disse a advogada de Murray, Valerie Wass, antes da libertação de seu cliente, à agência Reuters.

O cardiologista teve sua licença médica suspensa em três estados, e não pode mais atuar na profissão. Seu nome e seu rosto são muito conhecidos devido à associação ao cantor e ao processo. Não se sabe o que ele fará fora da prisão.

Após ser condenado, Murray chegou a apelar de sua sentença. Antes de trabalhar com Michael, ele era dono de clínicas em Las Vegas. Durante seu período na prisão, Murray reclamou muito das condições da prisão.

O médico, de 58 anos, foi o único acusado pela morte de Michael Jackson, que morreu por overdose do anestésico propofol que consumia com frequência para combater a insônia.

Fonte: G1

Falso médico diplomado na Bolívia é preso em Teixeira de Freitas

Antônio Cleiton estava atendendo em Ibiraboã (Foto: Divulgação)
Antônio Cleiton estava atendendo em Ibiraboã (Foto: Divulgação)

Na manhã desta sexta-feira (18) em Teixeira de Freitas um falso médico foi preso em cumprimento a um mandado de prisão preventiva solicitado à Justiça pela Delegacia Territorial (DT) da cidade. Antônio Cleiton Braga Leite, 33 anos, havia sido denunciado pela Secretaria de Saúde do município depois de provocar o aborto numa mulher que procurou atendimento em Ibirapoã, a 878 quilômetros de Salvador.

O acusado seria diplomado em medicina por uma faculdade da Bolívia e estava clinicando desde janeiro deste ano utilizando o carimbo de um médico de Salvador, segundo a polícia. Ele é natural da cidade de Feijó, no Acre, e é casado com uma médica baiana.

Atualmente, Cleiton atendia no Centro de Saúde Isaura Chácara, em Ibirapoã, mas já havia passado anteriormente pelas cidades de Prado, Veredas e Itanhém.

De acordo com o delegado Kleber Eduardo Gonçalves, carimbos, receituários em branco e assinados, um notebook, um HD externo, já encaminhados para a perícia, foram apreendidos na casa do falso médico.

A Polícia Civil apura denúncias de que Cleiton também teria atendido uma idosa, vítima de AVC, e a deixou com sequelas graves. Em Teixeira de Freitas, Cleiton utilizava uma identidade falsa em nome de Rodrigo Roffer Gomes Raposo.

Indiciado por falsidade ideológica e exercício ilegal da medicina, o suspeito ficará custodiado na carceragem da 8ª Coorpin, aguardando transferência para o sistema prisional.

Operação em 14 estados
A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (18) a Operação Esculápio em 14 Estados para desbaratar um esquema de fraude no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida).

De acordo com a PF, certidões de cursos de medicina realizados em outros países, principalmente Bolívia, eram fraudadas. A maioria dos falsos médicos é brasileira, comprou o diploma nos países e apenas entre dois ou três são bolivianos.

O delegado Guilherme Torres, responsável pela operação, disse que, “a princípio, não tem como afirmar que os falsos médicos tenham tentado ingressar” no Programa Mais Médicos. Entretanto, Torres não descarta essa possibilidade.

“O que se sabe é que existem médicos formados na Bolívia entrando na Justiça brasileira tentando entrar no Mais Médicos sem que tenham diploma revalidado”, afirmou.

Torres disse que a operação é apenas o começo da investigação mais detalhada que começa a partir de agora.

Além da Bahia, são cumpridos 41 mandados de busca e apreensão Acre, Alagoas, Amazonas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Rondônia, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Fonte: Correio

Médico é acusado por morte de bebê em Itabuna

Um médico está sendo acusado de negligência pela morte de um bebê após o parto na Maternidade Ester Gomes, em Itabuna. O profissional é o mesmo que cobrou pela realização de um parto pelo SUS no início do mês de agosto.

“Não era mais para ela ter [parto] normal pelo fato da demora, ela não tinha mais força, e esse médico extraiu meu filho com força bruta. Ele sabia muito bem que podia ter feito a [cirurgia] cesárea e não fez. Optou pelo parto normal e quase mata minha esposa também”, diz Daniel Leão, pai da criança.

Paulo Emanoel Santana Leão nasceu na maternidade Ester Gomes na segunda-feira (26) às 14h10, pesando pouco mais de quatro quilos. O bebê morreu na manhã de quarta-feira (28) e a causa, segundo a certidão de óbito, foi uma fratura no braço e sofrimento fetal.

A direção do hospital disse que uma reunião será realizada nesta quinta-feira (29) para discutir a denúncia. O médico não quis comentar o assunto com a imprensa.

Susto
Ainda segundo Daniel, o parto da mulher foi demorado e o bebê foi para o quarto com a cabeça e o braço enfaixados. “Quebrou o braço do meu filho em vários lugares, [tinha] hematoma na cabeça e no tórax da criança. Um sonho, e por causa de negligência de médico e de hospital, a gente perdeu esse sonho. Não vou calar pra não acontecer com mais ninguém”, indigna-se Daniel.

Denúncia anterior
O médico obstetra que atendeu a esposa de Daniel já foi alvo de denúncia na mesma maternidade que atende pelo SUS. Ele cobrou R$1.200 para fazer o parto de uma adolescente de 16 anos. A direção do hospital obrigou o médico a devolver o dinheiro à família.

 Fonte: G1

Dificuldades para ser atendido pelo SUS no Hospital São Lucas

O Sistema Único de Saúde (SUS) de Itabuna causa revolta entre dependentes do serviço. Além dos problemas para marcação de exames e atendimento nos postos de saúde, quem necessita de atendimento em pronto-socorros também ficam prejudicados. Pacientes que chegam no Hospital São Lucas, por exemplo, precisam aguardar por até cinco horas para serem atendidos, e quando são. É um total desrespeito com os itabunenses.

Segundo denúncias feitas ao Blog do Tom, sabe-se que há apenas um médico por plantão para atender mais de 50 pacientes no pronto-socorro além dos pacientes já internados. Ao que parece, ser atendido em hospital é luxo em Itabuna.