Segunda etapa do “Mais Médicos” na Bahia inclui comunidades indígenas

Os 277 profissionais estrangeiros do 2º ciclo do programa “Mais Médicos” encerraram nesta sexta-feira (1º) as atividades coordenadas pela Secretaria da Saúde (Sesab) e seguiram para as cidades onde devem atuar. Para ver a lista completa de cidades beneficiadas com a segunda fase do programa, clique aqui.

O secretário da Saúde do Estado, Jorge Solla, e o secretário especial de Saúde Indígena do governo federal participaram da cerimônia. Secretários municipais de Saúde e prefeitos também viajaram à capital baiana para conhecer os médicos que irão atuar em suas cidades.

Nesta edição do programa, comunidades indígenas baianas também foram incluídas. Dez médicos foram encaminhados para as regiões de Euclides da Cunha, Ilhéus, Itamaraju, Pau Brasil, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal e Porto Seguro. Por conta disso, lideranças indígenas também compareceram.

Antes dos primeiros atendimentos aos indígenas da Bahia, os médicos ainda passarão por três dias de treinamento especial voltado para aprenderem detalhes sobre a cultura e os costumes dos índios.

Fonte: Correio

Mais Médicos: Profissionais brasileiros chegam em 24 municípios baianos

A partir desta terça-feira (1º) 35 profissionais participantes da segunda etapa do programa federal Mais Médicos chegaram aos postos de trabalho, distribuídos em 24 municípios do estado.O município de Simões Filho receberá a maior quantidade de médicos (6), seguido de Ilhéus (3), Anagé (2) e Camamu (2).

De acordo com o Ministério da Saúde, ao todo, 416 médicos atuarão em unidades básicas de saúde em 228 municípios e nove distritos de saúde indígena em todo o país. Para receber a bolsa mensal de R$ 10 mil, custeada pelo governo federal, os gestores locais devem confirmar o início do trabalho desses profissionais até o dia 14.

Para confirmar o início do trabalho no programa, os médicos têm de apresentar seus documentos pessoais, além do diploma, registro profissional (CRM) válido no Brasil e termo de adesão assinado. Quem não for trabalhar será excluído do programa.

Os médicos que tiveram algum impedimento e não se apresentaram terão que enviar justificativa ao gestor e negociar com eles a compensação dos dias não trabalhados. É responsabilidade do município o custeio da moradia e da alimentação dos médicos do programa ao longo dos três anos de atuação.

Informações: Bahia Notícias

Menos da metade dos estrangeiros conseguem registro para trabalhar na Bahia

Para diretoria do Cremeb, o “Mais Médicos” é uma ação eleitoreira
Para diretoria do Cremeb, o “Mais Médicos” é uma ação eleitoreira

Durante uma entrevista coletiva nesta sexta-feira (20) representantes do Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb) apresentaram o balanço da entidade sobre a solicitação de registro dos médicos estrangeiros que vieram para integrar o programa “Mais Médicos”, do Governo Federal.

De acordo com a entidade, apenas 29 dos 59 profissionais anunciados pelo programa “Mais Médicos” receberam registro provisório do Cremeb. O número baixo decorre da falta de documentos exigidos pelo órgão para credenciar os pretendentes. Leia mais…

Ilhéus quer 60 profissionais do Programa Mais Médicos

A secretária Ledívia Espinheira foi a Brasília com o projeto para contratação de 60 profissionais
A secretária Ledívia Espinheira foi a Brasília com o projeto para contratação de 60 profissionais

Foi solicitada pela Secretaria de Saúde de Ilhéus a adesão do município ao programa Mais Médicos, do Governo Federal, e pediu a indicação de 60 profissionais para atuarem nas unidades de atenção básica. A secretária Ledívia Espinheira admitiu que os técnicos do órgão encontraram dificuldades para o cadastro online no sistema do programa, como ocorreu com outros municípios, e teve de ir a Brasília discutir o assunto com a Diretoria de Atenção Básica (DAB) e a Diretoria de Tecnologia da Informação do Ministério da Saúde.

Ela disse, ainda, que  o cadastramento incluiu 34 unidades de saúde (posto e centros) das zonas urbana e rural. “Efetuamos o cadastramento no programa Mais Médicos – que era uma cobrança permanente do prefeito Jabes Ribeiro – e agora vamos aguardar a análise do Ministério da Saúde para saber como nosso município será contemplado”, afirmou.

O Programa Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), que prevê mais investimentos em infraestrutura dos hospitais e unidades de saúde, além de levar mais médicos para regiões onde há escassez e ausência de profissionais. A iniciativa prevê também a expansão do número de vagas dos cursos de medicina e de residência médica, além do aprimoramento da formação médica no Brasil.

A secretária municipal da Saúde explicou que a possibilidade de vinda de médicos para o município não substitui nenhuma das equipes que hoje atuam no Programa de Saúde da Família (PSF) e nos postos de saúde de modo geral. Ela lembrou que a gestão tem buscado o auxílio do Ministério da Saúde para garantir a rede de atenção básica e citou a adesão de Ilhéus ao Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab). Dos nove médicos enviados para Ilhéus através do programa, seis continuam atuando na zona urbana. O restante decidiu retornar às cidades de origem.

Médicos cubanos já estão na Bahia

Médicos cubanos desembarcam no Brasil / Imagem: R7 Notícias

Cinquenta médicos cubanos que vão trabalhar na Bahia pelo programa Mais Médicos desembarcaram na noite deste domingo (25) no Aeroporto Internacional de Salvador. Com bandeiras de Cuba e do Brasil nas mãos, eles foram recebidos por populares, além de integrantes de partidos políticos e Organizações Não Governamentais (ONGs) que entoavam canções como “Cubanos, amigos, Brasil está contigo”.

Todos os profissionais que vão atuar no estado já participaram de missões em países fora de Cuba e possuem especialidade em Medicina da Família entre suas qualificações. A maioria deles também possui mais de 16 anos de experiência na área de saúde.

Os médicos ficarão alojados em unidades militares em Salvador e antes de seguirem para um dos 22 municípios da Bahia onde vão atuar, participarão de cursos sobre a saúde pública no Brasil e língua portuguesa.

Os cubanos serão distribuídos nas cidades de Adustina, Araci, Buritirama, Campo Alegre de Lourdes, Cansanção, Carinhanha, Central, Cocos, Coronel João Sá, Correntina, Formosa do Rio Preto, Itiúba, Jeremoabo, Macaúbas, Mansidão, Nova Soure, Remanso, Riacho de Santana, Serra Dourada, Sítio do Quinto, Souto Soares e Tucano.

Programa

A Bahia é o estado que mais deve receber profissionais pelo programa “Mais Médicos”, de acordo com o Ministério da Saúde. Ao todo, serão 161 médicos direcionados para o estado. Em seguida, estão Minas Gerais (159), São Paulo (141), Ceará (138), Goiás (117), Rio Grande do Sul (107) e Amazonas (73).

O acordo prevê, até o final do ano, a chegada de 4 mil médicos cubanos. Segundo Mozart Sales, o programa recebeu 400 pedidos por médicos em Pernambuco e, até o momento, só 74 vagas foram preenchidas.

Informações: G1

Programa Mais Médicos traz 12 estrangeiros para Bahia

Doze municípios baianos irão receber médicos estrangeiros pelo programa Mais Médicos, do Ministério da Saúde. Ao todo, são 30 profissionais de outras nacionalidades que foram formados em universidades de fora do país.  O nome dos médicos e a cidade em que trabalharão a partir da segunda quinzena de setembro foram divulgados nesta quinta-feira (15) em portaria publicada no Diário Oficial da União. Itabuna e Ilhéus estão de fora da seleção. Leia mais…