Tarifa de ônibus vai a R$ 2,60 em Ilhéus

Com Blog Pimenta

O ilheense deve preparar o bolso. O preço da passagem do transporte urbano no município vai saltar de R$ 2,40 para R$ 2,60 no dia 1º de junho, conforme anúncio do prefeito Jabes Ribeiro em coletiva concedida no Palácio Paranaguá nesta manhã de terça.

O percentual está dentro do que foi apontado em estudo da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O resultado do trabalho foi apresentado em março deste ano. Por ele, a tarifa ficaria entre R$ 2,60 e R$ 2,70.

O valor, no entanto, foi questionado à época pelo integrantes do Reúne Ilhéus, para os quais o estudo da Fipe foi feito sem o aprofundamento necessário. O prefeito Jabes Ribeiro disse que o reajuste terá como contrapartida aumento de linhas em alguns trechos.

O último reajuste de tarifa foi concedido às empresas em 2012. Ano passado, a pressão popular, puxada pelo Movimento Reúne Ilhéus, fez o prefeito abortar o aumento.

Jabes Ribeiro pede grupo de trabalho para criar Região Metropolitana

O prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro (PP), quer a formação da região metropolitana de Ilhéus e pede a criação de um grupo de trabalho para estudar o projeto. A ideia foi defendida pelo gestor nesta quarta-feira (29) durante evento realizado em Itabuna.

O encontro contou com uma palestra do arquiteto, urbanista e especialista em desenvolvimento urbano Jório Dórea, que também defendeu a implementação da Região Metropolitana Sul da Bahia.

A intenção é aproveitar a chegada de empreendimentos como o Porto Sul, a Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol) e o aeroporto internacional de Ilhéus.

Novos médicos chegam à Ilhéus mas unidades de saúde estão em falta

A médica Aline atende em uma sala de aula (Foto: Divulgação)
A médica Aline atende em uma sala de aula (Foto: Divulgação)

Em Ilhéus dez novos médicos foram contratados para reforçar o atendimento à população na rede de saúde pública. Conforme José Antonio Ocké, secretário de saúde, a contratação foi autorizada pelo prefeito Jabes Ribeiro em caráter emergencial para suprir a demanda reprimida do setor.

Dentre os médicos contratados, há especialistas em pediatria, clínica geral, psicologia, nutrição, geriatria, entre outros. Os profissionais começam a atuar na próxima semana.

Mais Médicos

Na semana passada, a primeira médica do programa federal Mais Médicos se apresentou em Ilhéus. Aline Souza Nunes, formada pela Unirio, já iniciou o trabalho na cidade. O município solicitou 60 médicos ao programa.

Nesse primeiro ciclo, o Ministério da Saúde designou três médicos para Ilhéus, sendo que dois desistiram. Segundo Bárbara Christian, após a validação do processo da doutora Aline Souza, a perspectiva é que a pediatra seja indicada para atuar no Programa de Saúde da Família (PSF IV) no bairro Teotônio Vilela.

Em contraponto à chegada de médicos, a rede básica de saúde de Ilhéus passa por outra dificuldade, o funcionamento dos postos.

Quase todas as unidades da zona sul de Ilhéus, por exemplo, estão fechadas. No bairro Nossa Senhora da Vitória, o posto não abre há um ano.

Informações: Ilhéus24h

Após 80 dias servidores municipais encerram greve

Em assembleia realizada nesta sexta-feira (4) as cinco categorias de servidores municipais de Ilhéus decidiram encerrar a greve que completou 80 dias. O retorno ao trabalho será na próxima terça-feira (8), no entanto, virá acompanhado de uma ação judicial dos sindicatos cobrando a revisão anual a partir da data base de cada categoria e ainda o piso nacional dos professores de 7,97%, também com data retroativa a 1º de janeiro.

Assembleia dos servidores em Ilhéus / Foto: Fábio Bomfim/Ilhéus24h
Assembleia dos servidores em Ilhéus / Foto: Fábio Bomfim/Ilhéus24h

A decisão dos trabalhadores tomou como base não somente a Constituição Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal, mas também o parecer do Tribunal de Contas dos Municípios e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Sebseção-Ilhéus) que garantem que o governo tem a obrigação de repassar a revisão salarial anual, independente dos índices da folha de pagamento.

Em sinal de protesto contra a decisão do prefeito Jabes Ribeiro de descumprir o que manda a lei, os trabalhadores estarão se reunindo na próxima segunda-feira (7), às 14 horas da manhã, em frente à Justiça do Trabalho, na rua Severino Vieira, Malhado, para o ingressar com a ação.

Os líderes sindicais informaram que nesses 80 dias de greve foram várias as tentativas de negociações com o governo municipal para solicitar o cumprimento do que manda a Constituição Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal, mas o prefeito Jabes Ribeiro permaneceu insensível às reivindicações dos trabalhadores.

As cinco categorias de servidores municipais de Ilhéus decidiram, em assembleia nesta sexta (04), encerrar a greve que completou hoje oitenta dias. O retorno ao trabalho, na próxima terça (08), no entanto, virá acompanhado de uma ação judicial dos sindicatos cobrando a revisão anual, a partir da data base de cada categoria, e ainda o piso nacional dos professores de 7,97%, também com data retroativa a 1º de janeiro.

A decisão dos trabalhadores tomou como base não somente a Constituição Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal, mas também o parecer do Tribunal de Contas dos Municípios e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Sebseção-Ilhéus) que garantem que o governo tem a obrigação de repassar a revisão salarial anual, independente dos índices da folha de pagamento.

Em sinal de protesto contra a decisão do prefeito Jabes Ribeiro de descumprir o que manda a lei, os trabalhadores estarão se reunindo na próxima segunda-feira (07), às 14 horas da manhã, em frente à Justiça do Trabalho, na rua Severino Vieira, Malhado, para o ingressar com a ação.

Os líderes sindicais informaram que nesses 80 dias de greve foram várias as tentativas de negociações com o governo municipal para solicitar o cumprimento do que manda a Constituição Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal, mas o prefeito Jabes Ribeiro permaneceu insensível às reivindicações dos trabalhadores.

Fonte: Ilhéus24H

Servidores municipais de Ilhéus continuam greve e dão prazo à Jabes

Em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira (30) os trabalhadores municipais de Ilhéus decidiram que darão o prazo até sexta-feira (4) para que o prefeito Jabes Ribeiro cumpra o que determina a Constituição Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal e até lá a greve geral dos servidores públicos continua.

Greve é mantida pelos servidores / Foto: Fábio Bonfim / Ilhéus 24h.
Greve é mantida pelos servidores / Foto: Fábio Bonfim / Ilhéus 24h.

Caso contrário, os trabalhadores entrarão com ação na justiça juntamente com o Ministério Público Federal do Trabalho para que a lei seja cumprida, garantindo a revisão anual a partir da data base de cada categoria e ainda o piso nacional dos professores de 7,97%, também com data retroativa a 1º de janeiro. Leia mais…

Vereador de Ilhéus denuncia pagamento indevido de Jabes ao irmão

O vereador Lukas Paiva (PMN) denunciou no plenário da Câmara Municipal de Ilhéus que enquanto o prefeito Jabes Ribeiro alega que o município está em dificuldades para conceder a reposição salarial dos servidores, por outro lado resolveu beneficiar o próprio irmão, John Sousa Ribeiro, pagando no mês de janeiro desse ano três salários de vez e mais 1/3 de férias, totalizando quase R$ 22 mil.

Vereador Lukas denunciou o prefeito Jabes, que encontra cheio de problemas / Foto: Divulgação
Vereador Lukas denunciou o prefeito Jabes, que encontra cheio de problemas / Foto: Divulgação

De acordo com o vereador, o fato por si só já poderia ser considerado imoral, mas a situação é ainda mais grave se levar em consideração que o irmão do prefeito é lotado como professor do Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavigne, mas nem no ano passado e muito menos esse ano deu sequer uma aula. Vale ressaltar que na época em que John Ribeiro recebeu esse salário ele acumulava a função de diretor do escritório da EBDA em Ilhéus.

Com base em um contracheque distribuído por líderes sindicais, Lukas Paiva chamou a atenção que o documento não mostra quais os meses que foram pagos ao irmão do prefeito, já que informações dos próprios servidores dão conta de que na ocasião apenas o salário do mês de dezembro e o 13º estavam em atraso. O problema é que, ainda que tivesse tudo dentro da lei, o fato não deixa de ser imoral, já que os demais professores não receberam os salários de dezembro e o 13º no mês de janeiro, mas sim no início de maio. “Como é que pode o irmão do prefeito receber os salários antes dos outros servidores?”, questionou o vereador.

Outro detalhe denunciado por Lukas Paiva é que muitos professores ainda não receberam até agora o 13º salário do ano passado e Jabes Ribeiro não deu qualquer posição de quando esse vencimento seria quitado, mas o irmão do prefeito recebeu antecipado, sem ao menos ter ido trabalhar. No contracheque apresentado por Lukas Paiva consta ainda que John Sousa Ribeiro recebe um salário mensal de R$ 6.565,25 como professor C do Ensino Fundamental, mas não deu nem uma aula.

“Como é que o prefeito diz que a Prefeitura está sem dinheiro para dar a reposição aos servidores e paga esse salário milionário para seu irmão que não aparece para trabalhar”, denunciou Lukas Paiva.

Fonte: Políticos do Sul da Bahia

Confira o vídeo da confusão na Câmara de Vereadores

Reúne Ilhéus ocupou a Câmara para pressionar o governo / Foto: Fábio Roberto

Nesta quarta-feira (28) um grupo de manifestantes do movimento Reúne Ilhéus ocupou o plenário da câmara de vereadores da cidade. O protesto encerrou a sessão e os vereadores da base do governo foram impedidos de deixar a câmara. A policia Militar foi chamada para garantir a segurança de todos. Durante o tumulto, o vereador Gurtia teria agredido um manifestante com um soco. Segundo informações, a PM não agiu contra o vereador porque “não foi em flagrante”, mesmo tendo uma multidão de testemunhas.

O protesto foi gerado pelo fato da câmara arquivar o pedido de uma abertura de Comissão Especial de Inquérito (CEI) do transporte público e o pedido de afastamento do prefeito Jabes Ribeiro (PP).

ANEL apoia a ocupação na prefeitura de Ilhéus

O movimento ativista ocupou o Palácio Paranaguá desde ontem (16/07), quando a ANEL divulgou sua posição. Com o dinamismo dos fatos recentes, é preciso considerar que o Palácio Paranaguá já foi desocupado (há poucos instantes) e o texto foi escrito ontem. Mas a validade dos seus argumentos permanece. Segue abaixo o conteúdo integral do documento apresentado pela Assembleia Nacional de Estudantes – Livre.

Nota Sobre a Ocupação da Prefeitura de Ilhéus

Na manhã de hoje (16/07), cerca de 60 integrantes do Movimento Reuni Ilhéus ocuparam o prédio da prefeitura. A ação que ocorreu de forma pacífica tem como objetivo principal conseguir a redução no valor da passagem do transporte coletivo para R$ 2,00. Desde o mês passado, quando houve um ato que reuniu mais de 5 mil pessoas, os integrantes do movimento vem tentando conquistar a redução no valor da passagem que é proporcionalmente um dos mais caros do país.

A ação foi deliberada após ter se encerrado o prazo de 24 horas dado pelos integrantes do Reuni para o executivo entregar os dados contábeis das empresas de ônibus. Poucos minutos após a ocupação o prédio foi fechado e até o momento não houve nenhum pronunciamento do poder público municipal. Parte do saguão do primeiro andar foi bloqueada por guardas que estão impedindo os manifestantes de ter acesso ao banheiro, como forma de fazer com que os mesmos saiam do prédio.

A situação do transporte público em Ilhéus é caótica, a população paga caro por um serviço de péssima qualidade (superlotação, espera prolongada nos pontos, ônibus velhos e sujos). Por esses motivos a intenção dos manifestantes é permanecer no local até que o prefeito decrete a redução no valor da passagem e para isso pedem o apoio da população de Ilhéus: sindicatos, associações e independentes.

Entendemos o transporte público como uma necessidade básica e um direito que deve ser assegurado pelo Estado a todo cidadão de forma gratuita e com qualidade, mas infelizmente hoje esse serviço é controlado pela iniciativa privada, dessa forma o lucro das empresas é priorizado em detrimento dos usuários. Esse esquema gera uma verdadeira máfia em que os empresários do transporte financiam as campanhas eleitorais e depois os vereadores e o prefeito asseguram seus lucros exorbitantes.

Precisamos exigir a municipalização do transporte público, sob o controle dos usuários e trabalhadores do transporte; passe-livre para estudantes, desempregados e idosos; e passagem a no máximo R$ 1,00 para os(as) trabalhadores(as). E acreditamos que a única forma de garantirmos esse direito é através da organização e da mobilização dos trabalhadores e da juventude. Venha fazer parte desse movimento em prol de mudanças que beneficiarão a todos!

“Se o presente é de luta o futuro nos pertence.”

Assembleia Nacional dos Estudantes – Livre (ANEL)

Mais informações

Jabes tenta expulsar movimento do Reúne Ilhéus via judiciário

O juiz Kleber Roriz teria negado o pedido de liminar na ação de reintegração de posse pedida pelo prefeito de Ilhéus Jabes Ribeiro para desocupar o Palácio Paranaguá, tomado por estudantes do movimento Reúne Ilhéus.

Segundo informações vinda do Blog Agravo, o governo entrou com pedido às 20 horas da noite desta terça-feira (16), tendo o pedido negado em torno das 22 horas, com a alegação de que o governo teve o dia inteiro para pedir a desocupação, tentando o feito apenas durante a noite.

Até o momento o a prefeitura, Palácio Paranaguá, ainda se encontra ocupado pelos manifestantes, que lutam pela redução da tarifa de ônibus e a entrega dos balancetes das empresas de transporte público da cidade, Via metro e São Miguel.

Ilhéus: Prefeito Jabes Ribeiro pensa em renunciar

 desgastadoDe acordo com informações extra-oficiais chegadas agora de Salvador, o prefeito ilheense, Jabes Ribeiro, poderá renunciar em breve. Jabes não estaria mais suportando as pressões da sociedade e os movimentos organizados e até a própria ingovernabilidade como ele mesmo vem falando. A única saída vista seria de fato a renúncia. Ainda nesta quarta-feira (17) haverá uma conversa com o vice prefeiro, “Cacá Colchões”, alguns secretários mais próximos e o presidente da BahiaGás, seu cunhado, Davidson Magalhães.
A pressão maior para que Jabes renuncie é da própria esposa, Sra. Adriana Ribeiro. É esperado que até o final da tarde de hoje informações já oficiais do  Palácio Paranaguá, que por ora se encontra ocupado por ativistas do Movimento “Reúne Ilhéus”.
Informações de Sérgio Luiz, da capital do Estado.

Jabes não quer mais ser prefeito

Jabes Ribeiro - Atual Prefeito de Ilhéus-BA
Jabes Ribeiro – Atual Prefeito de Ilhéus-BA

Durante o I Debate e Estudo Técnico sobre as medidas de recondução das despesas com pessoal, promovido pela União Dos Municípios da Bahia (UPB), na semana passada, em Salvador, o prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, subiu ao palco para falar sobre a sua gestão e os problemas administrativo que enfrenta.

Em seu discurso, Jabes acabou revelando que já não tem interesse em disputar uma reeleição ao cargo de prefeito. De acordo com as falas dele, “Ilhéus está ingovernável“.

Ribeiro também soltou o verbo pra cima do Congresso Nacional, afirmando que o mesmo “é surdo” e que “só ouve quando o povo vai às ruas”, referindo-se às manifestações que ocorreram pelo Brasil nos últimos dias.

Texto O Tabuleiro