Pequenos produtores rurais fecham BR-101 mais uma vez

Pequenos produtores rurais bloquearam a BR-101, na altura do município de Buerarema, desde às 16:00h desta quarta-feira (25), pois segundo eles, o governador Jaques Wagner não recebeu o grupo na capital baiana.

Fotos: Macuco News
Fotos: Macuco News

O protesto interditou os dois sentidos da BR-101 por cerca de 5 km. Além da PRF, a Polícia Militar e a Força Nacional de Segurança estão no local.

O diretor da Associação de Pequenos Produtores, Abiel Santos, afirma que três mil pessoas participam da ação, por tempo indeterminado.A previsão é colocar 10 mil pessoas de hoje para amanhã [quinta-feira]. As pessoas estão perdendo as suas casas e ninguém faz nada. Tem muito bandido se passando por índio. Não aguentamos mais a indiferença do governo, diz o produtor. Segundo Abiel Santos, duas propriedades foram invadidas nesta quarta-feira e um idoso de 80 anos foi agredido.

Buerarema: debate tenso na Alba não consegue intermediar conflitos

Os conflitos entre descendentes de índios Tupinambás e pequenos agricultores do sul da Bahia estão longe da resolução. Na terceira tentativa, a Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) realizou nesta segunda-feira (23) nova audiência para intermediar os conflitos nos municípios de Una, Buerarema e Ilhéus.

Na região, cerca de 140 comunidades indígenas ocupam 200 pequenas propriedades rurais e 20 famílias de agricultores familiares estão acampadas na praça central de Buerarema. Em um clima tenso, a audiência, presidida pelo deputado estadual Temoteo Brito (PSD), não teve a participação de representantes indígenas, da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) ou da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Apesar da reunião com debates calorosos, a solução ainda encontra-se muito longe…

Audiência pública discute conflitos entre tupinambás e produtores rurais

Manifestantes fecharam a BR-101 no mês de agosto
Manifestantes fecharam a BR-101 no mês de agosto

Na próxima segunda-feira (23) uma audiência pública será realizada na Assembleia Legislativa da Bahia para discutir o conflito entre tupinambás e produtores rurais. Cerca de 300 pequenos agricultores dos municípios de Una, Ilhéus e Buerarema vão participar. A Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública do legislativo estadual vai ouvir produtores, índios e representantes da Funai, além do governo estadual e do Ministério da Justiça. Leia mais…

Geraldo Simões quer suspensão do processo de demarcação de terras na região

Na terça-feira (10) o Deputado Federal Geraldo Simões reiterou em pronunciamento feito no Congresso Nacional a necessidade de uma solução para o conflito em Buerarema, envolvendo supostas terras indígenas Tupinambá de Olivença. “Como manifestei anteriormente o conflito vem se acentuando na região e, apesar da entrada da Força Nacional para manter a paz, a situação está se agravando”, disse o parlamentar.

Simões afirmou que no momento não quer entrar nos detalhes da concepção que moveu a construção da suposta identidade Tupinambá pelos estudos da FUNAI. “Sinto que este assunto requer um maior aprofundamento e seriedade, por suas consequências para a identidade nacional brasileira, para a vida dos indígenas ou dos seus descendentes”, declarou.

Na semana passada, a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, realizou em Buerarema e em Itabuna audiências para debater o assunto. Nestas reuniões, foi demonstrado que o polígono delimitado pela FUNAI, com base nos estudos da antropóloga Susana de Matos Viegas, é uma área de mais de 47 mil hectares, que ocupa mais de 20% do território do município de ilhéus, 20% de Buerarema e 5% de Una.

Este território, abrange as localidades de Acuipe, com aproximadamente 1.500 habitantes; Campo São Pedro e Curupitanga, 800; Jairi e Sirihiba 350; Porto da Lancha, 500; Lençóis, 1.300; Sapucaeira/Vila Santaninha e Vilinha, 2.000; Pixixica/Serra Negra, 700; Vila Brasil, 800 e Vila Operária, 900. Também no Distrito de Olivença existem 4.000 habitantes. São aproximadamente 12.850 pessoas que seriam diretamente afetadas pela demarcação.

De acordo com Geraldo Simões, “diante do caráter arbitrário e rígido com que está sendo feito o processo de demarcação, baseado em estudos no mínimo contraditórios e com consequências desastrosas para a paz na região, estamos postulando que imediatamente se suspenda a demarcação”, disse. “Que se reintegre a posse das propriedades invadidas e se inicie uma negociação do Governo, com os segmentos realmente indígenas, buscando uma solução definitiva”, finalizou o deputado.

Fonte: Políticos do Sul da Bahia

Produtores interditam BR-101 e queimam carro oficial

Imagem: arquivo
Imagem: arquivo

Produtores rurais da cidade de Buerarema realizaram novo protesto pela ocupação de índios em propriedades do município. Nesta quinta-feira (5) eles interditaram a BR-101 por cerca de quatro horas e queimaram um veículo do governo.

A manifestação aconteceu no km540 da rodovia, no trecho entre São José da Vitória e Buerarema. Pedaços de madeira foram queimados para interditar os dois sentidos da rodovia federal.

O grupo de produtores chegou ao local por volta de 9h e foram retirados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) por volta de 13h. Eles ainda se deslocaram para outros dois pontos da rodovia, mas a ação foi dispersada pela PRF.

Um veículo do Instituto Federal da Bahia (Ifba) foi queimado durante o protesto, de acordo com o portal Terra. Um homem foi preso durante a manifestação pois teria estimulado os produtores rurais a colocarem fogo no veículo.

Ainda nesta quinta, a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa da Bahia esteve em Itabuna, onde participaram de uma audiência para debater o conflito entre índios e produtores.

Trabalhador rural é espancado e baleado por supostos índios

Adailton está internado no Hospital de Base de Itabuna / Imagem: Reprodução; Rede Bahia
Adailton está internado no Hospital de Base de Itabuna / Imagem: Reprodução; Rede Bahia

O trabalhador rural Adailton do Carmo Santos, de 55 anos, está internado no Hospital de Base de Itabuna após ser espancado e baleado na Fazenda São Pedro, localizada em Ilhéus. Segundo informações da polícia, o crime aconteceu na segunda-feira (2). Os familiares da vítima acusam índios armados de invadirem a propriedade em que o homem  de 55 anos estava.

De acordo com a família, os homens invadiram a fazenda armados e se identificaram como indígenas. Eles contam ainda que os suspeitos chegaram na localidade dando tiros para o alto e que alguns deles teriam arrombado a casa onde o trabalhador rural mora com a mulher e os filhos há 15 anos. Além dele, outro funcionário da fazenda também foi espancado pelos supostos indígenas.

Os médicos afirmam que a bala ficou alojada na coluna dorsal. Há a suspeita de que ele tenha perdido os movimentos da cintura para baixo. “No momento ele está com uma paralisia nos membros inferiores, consideramos temporária, mas pode ser definitiva se houver lesão medular”, afirma o médico José Henrique Carvalho.

A família, incluindo três crianças, precisou sair às pressas da fazenda. Os familiares do trabalhador rural informaram que registraram ocorrência do caso na Delegacia da Polícia Federal na região. A unidade policial informou que o crime será investigado.

Fonte: G1

Governador quer solução pacífica para conflitos em Buerarema

Governador Jaques Wagner e produtores rurais conversam sobre os conflitos
Governador Jaques Wagner e produtores rurais conversam sobre os conflitos

O governador Jaques Wagner pretende ir esta semana a Brasília para uma audiência com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em busca de uma solução para os conflitos entre produtores rurais e índios do município de Buerarema.

Nesta segunda-feira (2), na Governadoria, o governador se encontrou com representantes dos produtores rurais. O secretário de Agricultura da Bahia, Eduardo Salles, também participou do encontro.

A localidade conhecida como Serra do Padeiro, entre Buerarema, Una e Ilhéus, é alvo de disputa entre índios tupinambás e produtores rurais. Para garantir a tranquilidade da população, o governador solicitou ao Governo Federal o envio da Força Nacional de Segurança.

Os policiais desembarcaram no dia 18 de agosto.

Informações: Macuco News

Presidente da Ebal nega transferência da central de Buerarema

Eduardo Sampaio
Eduardo Sampaio

O presidente da Empresa Baiana de Alimentos (Ebal), Eduardo Sampaio, negou que haja intenção de transferir a central de distribuição de Buerarema para Itabuna de forma definitiva. Segundo ele, o que há é uma “remoção emergencial do estoque para as lojas Cesta do Povo dos municípios atendidos pela central”.

A decisão, afirmou, se trata de “medidas de segurança” que visam “proteger o patrimônio do cidadão baiano diante do vandalismo e da onda de saques que assolam a cidade de Buerarema”.

A central de Buerarema atende a 63 lojas da Cesta do Povo em 61 municípios das regiões Sul e Sudoeste do Estado e possui 150 funcionários.

Eduardo Sampaio descola-se para o Sul da Bahia. À tarde, ele visitará a central de distribuição em Buerarema e concederá entrevistas. A empresa buscava galpões em Itabuna para transferir o estoque da central, mas não conseguiu imóvel.

Jornalista Davdson Samuel

Link relacionado.

EBAL poderá mudar sua sede para Itabuna

A Empresa Baiana de Alimentos (Ebal) decidiu transferir de Buerarema para Itabuna a sua central regional de distribuição. Nos dias 16 e 24 deste mês a empresa foi alvo de saqueadores durante manifestações contra os índios tupinambás. A central abastece 63 lojas da Cesta do Povo em 61 municípios do sul e do sudoeste da Bahia contando com 150 funcionários.

O vereador Elio Almeida Júnior (Elinho), do PDT, disse que vai buscar reunião ainda nesta terça (27) com o diretor de operações da Ebal, Ricardo Bricídio. “A empresa é quem mais gera empregos no município. São 150 empregos diretos, fora os indiretos”, observa. “Vão parar tudo e colocar em Itabuna. Por que não investe em mais segurança na central?”.

Segundo Elinho, haverá forte reação política e popular, caso a Ebal insista em retirar a central de distribuição de Buerarema. “Estão tirando tudo [mercadoria] com cuidado para não ficar evidente a transferência [da central] para Itabuna”, disse.

A decisão da Ebal representaria, na opinião do parlamentar, um desastre para a economia de Buerarema. “Pela Central, são mais de 60 carretas semanais e abastecimento para 63 lojas Cesta do Povo. Ela movimenta do trapicheiro a restaurantes e lanchonetes no município. Por que uma decisão dessas, quando Buerarema mais precisa do Governo do Estado?”, questiona. “Se for confirmada a mudança, nós vamos acionar o governador Jaques Wagner para revertê-la”.

Fonte: Pimenta

Produtores acampam em frente a Prefeitura de Buerarema

Várias barracas foram armadas na porta da Prefeitura. / Foto: Macuco News
Várias barracas foram armadas na porta da Prefeitura. / Foto: Macuco News

Na manhã desta quarta-feira (21) os produtores de Buerarema montaram barracas na porta da prefeitura como forma de protesto e afirmam que só sairão de lá após uma solução ser apresentada.

Aderindo ao movimento dos produtores de Buerarema, fazendeiros de São José da Vitória também fecharam a BR-101 por cerca de 8 horas na terça-feira (20) e atearam fogo em dois carros oficiais dos governos estadual e federal.

Desde a semana que o clima na região está tenso após supostos índios tupinambás invadirem fazendas de produtores de Buerarema. Grandes manifestações com vandalismo tem marcado os últimos dias.

Produtores de Buerarema relatam sua versão dos fatos

Produtores relatam sua versão.
Produtores relatam sua versão.

Em entrevista exclusiva ao Blog do Tom, produtores rurais de Buerarema relataram sobre o abuso dos supostos índios tupinambás na tentativa de retomada de terras na região. Na última quarta-feira (14) produtores foram atacados e perderam cerca de R$ 13 mil em mercadorias e dinheiro, levados por um bando que se identificava como tupinambá. Leia mais…

Buerarema: Moradores e fazendeiros interditam a BR-101

Créditos: Marcos Paulo

Conforme antecipado aqui pelo Blog do Tom os moradores e fazendeiros de Buerarema-BA e redondezas iriam realizar um manifesto nesta sexta-feira (16). Por volta das 09:00h o protesto foi iniciado na Praça Domingos Cabral – principal da cidade e logo deslocaram-se para BR-101 onde a mesma foi interditada.

As fotos deixam claro o pedido dos manifestantes, que ratificam-se nas necessidades efetivas para solução por parte do Governo Federal em relação as tribos indígenas que povoam toda área. O estopim para este feito deu-se na invasão de bandidos em fazendas da Serra do Padeiro – cerca de 20km de Buerarema, durante o ato os criminosos espancaram 3 pessoas, roubaram 3 mil reais, e destruíram cerca de 10 mil em mercadorias. Clique aqui e reveja.

Segundo informações da nossa reportagem, os manifestantes já atearam fogo em 5 veículos do estado, sendo que três deles são: S10, Gol e Ranger. Além disto, a EBAL – Empresa Baiana de Alimentos, foi invadida. (Confira nas fotos).

BR-101
BR-101

Momento da invasão a EBAL - Empresa Baina de Alimentos.
Momento da invasão a EBAL – Empresa Baina de Alimentos.

PF tenta demolir escola e posto de saúde no Acuípe

A Polícia Federal de Ilhéus-BA e tratores do município deslocaram-se para o povoado de Acuípe situado entre Olivença e Una, na manhã desta quarta-feira (31) com um mandado de reintegração de posse de uma área atualmente ocupada por índios tupinambás.

Segundo o Cacique da Tribo, os índios tem a permissão de permanecerem no local pois em 2002 a área de 47.345 hectares foi delimitada e pesquisas antropológicas foram feitas pela FUNAI, o projeto foi encaminhado para o Ministério da Justiça e devida a morosidade do trâmite até hoje não foi publicado. Dessa maneira, a tribo ficou a mercê de todo este processo sendo altamente prejudicados, pois os Policiais Federais estão com um mandado de desapropriação das terras onde 136 famílias ficarão desoladas, com a demolição da escola indígena 115 alunos ficarão sem aula e a destruição do posto de saúde que está aos cuidados da SESAI deixará a comunidade desassistida.

O Cacique pediu um prazo a FUNAI para que a sua tribo possa se mudar da localidade, e acredita que toda esta ação seja interesse de empresários que construirão fábricas de logística e empreendimentos no local.

Ônibus que transportava índios tomba a caminho de Salvador

Foto: Genildo Lawinscky/ TV Bahia

Um ônibus fretado por índios tombou no início da manhã desta terça-feira (11) nas proximidades do Km 553 da BR-324. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), os índios seguiam para um evento em Salvador. Ainda segundo a PRF, 42 índios da tribo Pataxó Hã Hã Hãe ocupavam o veículo no momento do acidente.

O levantamento preliminar da polícia indica que 10 pessoas ficaram feridas, mas o número pode ser maior, já que antes da chegada da PRF ao local, vítimas teriam sido socorridas pelo Samu e ambulâncias da Via Bahia para hospitais da região. O motorista do ônibus seria a vítima com mais ferimentos.

Testemunhas relataram que um carro teria fechado o ônibus por volta das 6h, fazendo com que o motorista perdesse o controle do veículo e tombasse na pista. Chovia no momento do acidente, que aconteceu na altura do segundo pedágio da cidade de Amélia Rodrigues. De acordo com a PRF, o acidente afeta o trânsito na região, onde se formou um congestionamento.

(Fonte: G1)