“Falta medicamentos e médicos especializados”, afirma paciente internada no Hospital de Base

Interior do Hospital de Base.
Interior do Hospital de Base.

Itabuna – Uma mulher identificada como Sebastiana Bezerra, de 45 anos, foi vítima de um acidente que aconteceu no dia 5 de Janeiro deste ano, na conhecida curva do óleo, trecho da BR-101. Desde o seu internamento Sebastiana sofre com a falta de remédios, falta de cirurgiões especializados e luta por uma cirurgia. Ela fraturou uma das pernas e teve a sua bacia deslocada.

Segundo informações, a medicação da paciente tem sido comprada por amigos, por conta da falta de remédios no hospital. Cada injeção tomada por ela custa R$ 85,00 reais. Até a dipirona está sendo comprada pela família. Ela agora busca uma transferência para Salvador para que passe por cirurgia e seja medicada.

Hospital de Base recebe doações de empresas

Cadeiras para hidratação de pacientes reformadas pela Casa Padim.
Cadeiras para hidratação de pacientes reformadas pela Casa Padim.

A diretoria do Hospital de Base recebeu ajuda de empresas de Itabuna que colaboraram com a reforma da emergência e garantiram melhorias nos serviços prestados à comunidade. A Coelba foi uma das constribuintes, que doou 20 cadeiras para escritório e sala de espera e a Móveis Kiko, que as reformou gratuitamente. A Associação Batista Grapiunense doou 120 lençóis e o escritório de arquitetura Complemento ofereceu o projeto para um abrigo de resíduos sólidos, o qual será construído em breve.

O Hospital de Base recebeu ainda da Casa Padim a doação de cinco cadeiras reformadas para hidratação de pacientes. O investimento médio foi de R$ 600,00 por cadeira, o que gerou uma economia de R$ 3 mil para o hospital. A diretora Administrativa e Financeira do Hospital de Base, Mirian Paranhos, disse que com a reforma das cadeiras, os pacientes terão mais conforto, segurança, higiene e haverá maior controle da infecção hospitalar devido à facilidade de limpeza.

O gerente da Padim, Wallace Spínola, disse que a empresa procura participar dos eventos na cidade e sempre contribuir com a comunidade de Itabuna. “Uma preocupação da empresa é ajudar na parte social da nossa cidade. Em tudo que a Padim pode contribuir, para Itabuna melhorar, estamos fazendo”, afirmou. Wallace explicou que o mesmo processo de reestruturação feito nos móveis da Padim foi utilizado nas cadeiras do hospital.

Já o presidente da Associação Batista Grapiunense, Jesimiel Palmeira, lembrou que “quando estamos fora do Hospital não temos conhecimento das diversas necessidades enfrentadas, mas conversando a gente percebe que pode ajudar”. Jesimiel fez campanha entre as igrejas e conseguiu o dinheiro para comprar o tecido dos lençóis direto da fábrica.

As parcerias com a Padim, a Coelba e a Móveis Kiko foram solicitadas pela diretoria do Hospital de Base, já a Associação Batista Grapiunense se propôs a ajudar a instituição após o internamento de uma associada. Miriam Paranhos destacou que qualquer empresa que possa ajudar o Hospital de Base deve procurar a direção administrativa. “As ajudas são sempre bem vindas”, finalizou.