Idosa morre por H1N1 em Vitória da Conquista

Uma idosa morreu na última terça-feira (20) em Vitória da Conquista. Nesta sexta-feira (23), a Secretaria Municipal de Saúde confirmou que a causa da morte foi a gripe H1N1. Segundo a secretaria, este foi o único caso de morte provocada pela doença em 2013 na cidade. Mas na Bahia, desde o início do ano até o dia 20 de agosto, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) registrou 46 casos e 10 mortes contando com este último.

Outros casos

Três casos de gripe A ou H1N1 foram confirmados no município de Juazeiro neste mês. Um homem morreu no dia 11 de agosto vítima da doença. Os outros dois infectados são pessoas próximas a ele, que foram medicadas e mantidas isoladas em casa.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, esses são os três primeiros casos confirmados da doença em Juazeiro. “O que morreu teve a confirmação através de vínculo epidemiológico e os outros dois por laboratório”, detalha Mário Machado, diretor de Promoção à Saúde da Secretaria.

A Secretaria Municipal de Saúde informou ainda que assim que a doença foi identificada no homem que morreu, os procedimentos de quimioprofilaxia foram realizados a fim de evitar a disseminação da doença.

“O risco maior ocorre nas primeiras 48 horas. No domingo [11] quando descobrimos já começamos a aplicar o medicamento nas pessoas que tiveram contato com ele e apresentavam sintomas. Já fizemos o alerta epidemiológico para os profissionais de saúde ficarem atentos a toda gripe grave e disponibilizamos Tamiflu nos hospitais públicos para tratamento imediato em caso de suspeita”, afirma Machado.

Em nota, a Secretaria afirma que na sexta-feira (16) equipes se reuniram com o objetivo de dar continuidade ao trabalho de prevenção. “Não é necessária preocupação, pois a cidade não vive uma epidemia e durante a última Campanha contra a gripe H1N1 realizada em abril deste ano, a cobertura vacinal ultrapassou a meta mínima do Ministério da Saúde (80%), vacinando 82,71% do público alvo (28,9 mil pessoas): aqueles com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, gestantes, crianças de 6 meses a menores de 2 anos, mulheres até 45 dias após o parto e portadores de doenças crônicas”, diz a nota.

Fonte: G1

Vigilância Epidemiológica indica surto de H1N1 na Bahia

Com 46 casos e nove mortes este ano, a H1N1 tem deixado em alerta os serviços de saúde da Bahia. O número representa um aumento de 62% entre janeiro e agosto de 2013, comparado ao mesmo período do ano passado. Segundo a Vigilância Epidemiológica, há um surto da gripe no estado. As baixas temperaturas do mês de agosto deixam a população mais vulnerável à doença e é importante ficar atento aos sintomas.

O caso mais recente foi na cidade de Juazeiro, na região norte, em que um homem morreu. “Eu diria que nós vivemos um período de surto em relação à doença. Eu comparo com o ano passado, nós não tivemos registro de óbito e somente 16 casos de H1N1. Agora se configura como um momento de surto”, diz o coordenador da Vigilância Epidemiológica, Juarez Dias.

A campanha de vacinação no primeiro semestre vacinou mais de 1,9 milhão de pessoas, atingindo a meta de imunização da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab). Mesmo assim, postos de saúde continuam vacinando quem pertence a algum dos chamados grupos de maior risco para o H1N1: crianças entre seis meses e dois anos, mulheres grávidas ou que tiveram filho em até 45 dias, idosos com mais de 60 anos e profissionais ligados à área da saúde.

“Pacientes portadores de doenças crônicas, os pneumopatas, os cardiopatas, os pacientes renais, soropositivos, todos eles têm a indicação da vacinação”, acrecenta a enfermeira Nadia Ribeiro.

O H1N1 tem sintomas parecidos com a gripe comum, mas é seguida de muita tosse, febre alta, dores na garganta e cansaço. A orientação em casos de sintomas parecidos é procurar um posto de saúde imediatamente.

A Sesab emitiu um alerta sobre o assunto para médicos e demais profissionais da saúde, como explica a coordenação de imunização, Fatima Guerra. “Vai desde a notificação do caso, como também o atendimento, assistência e intervenção terapêutica, de acordo com a clínica e o diagnóstico desse cidadão. Inclusive, também com coleta de material oportuno para identificação desse vírus que está circulando em nosso meio”, diz.

Quem não está nos grupos que têm direito à vacina gratuita pode procurar postos particulares de vacinação. A dose custa, em média, R$ 90. De acordo com a Sesab, ao todo, 15  pessoas morreram na Bahia vítimas de  complicações causadas por gripe ou pneumonia este ano.

Fonte: G1

Homem com suspeita da gripe H1N1 internado no Hospital de Base

Com a chegada do inverno, sofremos mais com gripes e resfriados. Por isso, é preciso estar atento a tomar alguns cuidados principalmente contra a gripe do tipo A.

Na tarde desta segunda-feira (8) a nossa redação foi informada sobre um homem que está internado no Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães com suspeita do vírus influenza H1N1. 

Informações dão conta que o paciente é um idoso e está internado em uma área isolada do Centro de Tratamento Intensivo – CTI. Paulo Bicalho, médico e diretor do Hospital conversou com a nossa redação e esclareceu sobre o atual estado de saúde do idoso, e quais medidas iriam ser tomadas, foi afirmado que:

As providências já foram adotadas com relação ao caso, e o paciente será transferido para Salvador.

Entenda do que se trata

O que é influenza A (H1N1)?

A influenza A é uma doença respiratória aguda, acarretada pelo vírus pandêmico (H1N1).

Formas de contágio

Este novo subtipo do vírus Influenza é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por meio da tosse ou espirro e do contato com secreções respiratórias de pessoas ou superfícies infectadas. Grupos de riscoa) População indígena aldeada;
b) Gestantes;
c) Pessoas portadoras de doenças crônicas;
d) Crianças maiores de seis meses até os dois anos de idade;
e) População de 20 a 39 anos.

Dicas de Prevenção

Mantenha superfícies limpas com Pato Limpa Limo e Pato Limpador de Banheiro, seus aliados contra o vírus H1N1 e cultive hábitos de higiene, tais como:

– Lave as mãos com água e sabonete, principalmente após tossir ou espirrar;
– Cubra o nariz e a boca com um lenço descartável após tossir ou espirrar;
– Não compartilhe alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
– Pessoas com qualquer gripe não devem freqüentar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas;
– Procure seu médico ou a unidade de saúde em caso de gripe para diagnóstico e tratamento adequados;
– Não usar medicamentos sem orientação médica. A automedicação pode ser prejudicial a saúde.