Hospital de Base ganha usina própria de gás medicinal

O Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães firmou novo contrato para abastecimento de gás medicinal e garantiu economia de mais de 70%, sendo que o gasto anterior era de R$ 100 mil por mês, mas agora, com o aluguel – e a futura compra, já em andamento – os custos caem para R$ 25.500. O equipamento da usina para produção de oxigênio e gás medicinal já está sendo instalado e produzirá uma quantidade maior do que a utilizada atualmente.

“Tudo é informatizado, a usina tem uma gerência autônoma e a segurança dos pacientes será total. A empresa tem todos os certificados, estamos satisfeitos. Até o final de semana estaremos com produção própria”, explicou o presidente da Fundação de Assistência à Saúde de Itabuna (Fasi), Paulo Bicalho.

Ele explica que a usina garante independência em relação às empresas internacionais ainda fornecedoras de oxigênio para o hospital. “Isso significa um direcionamento da gestão do Hospital pela economicidade, para ter mais recursos para aplicar em outras melhorias, conforme a política administrativa orientada pelo prefeito Claudevane Leite”, disse.

Nova emergência aguarda treinamento

Paulo Bicalho esclareceu que durante o mês de agosto a Emergência, já totalmente reformada fisicamente, está em fase de informatização, para fazer parte do programa Cidade Digital. “Na próxima semana, o sistema de fibra ótica estará pronto. A resposta da nossa internet era demorada. Sairemos do cabeamento antigo e assim teremos velocidade compatível com a exigência dos procedimentos”, afirma.

Além disso, desde os maqueiros até os médicos, todo o pessoal está passando por treinamento para dar maior atenção aos pacientes.

Quanto ao recadastramento dos servidores da FASI, Bicalho avaliou como altamente positivo. “Tivemos uma cobertura de 92%, mas temos pessoas afastadas e em férias, isso está sendo composto”. Bicalho explicou que agora é possível saber onde cada funcionário está desenvolvendo suas atividades, cada setor e horário. “Isso foi muito bom para a organização do Hospital. Tudo está completo para nossas necessidades” concluiu.