Aumento de R$ 3 reais no Ticket Alimentação faz funcionários da Penalty pararem

Registro de um protesto realizado em 2011
Registro de um protesto realizado em 2011

Na manhã desta quinta-feira (30) funcionários da fábrica da Penalty paralisaram as atividades por duas horas na porta da empresa. O Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias Têxteis e Calçadistas (Sintratec) foi o responsável pela organização do protesto.

De acordo com Geser Cardoso, presidente do sindicato, a paralisação aconteceu depois que a empresa ofereceu um aumento de R$ 3 reais para o Ticket Alimentação. Segundo ele, não houve reajuste no piso salarial que atualmente é de R$ 755,00.

Para a próxima semana está prevista uma paralisação de 3 horas. O intuito do movimento é uma reunião com empresários para negociação.

Funcionários do CICOM de Itabuna podem entrar em greve

CICOM de Itabuna
CICOM de Itabuna

Funcionários do Centro Integrado de Comunicação (CICOM) de Itabuna estão ameaçando entrar em greve pela falta de pagamento do 13º e pelo atraso nos salários. Segundo eles, o Grupo Fort, responsável pelo pagamento, não está cumprindo com sua obrigação.

O CICOM é um serviço terceirizado para a Polícia Militar onde há várias call center, ou centrais de chamadas, atendendo ligações do 190 (Polícia Militar), 193 (Corpo de Bombeiros) e 197 (Polícia Civil). A empresa é de Marina Bacela, responsável por liberar o pagamento para os funcionários.

Segundo denúncias, além de ter atrasado nos salários, há pessoas que não chegam a receber vale transporte. Além disso, a escala de trabalho seria totalmente errada e são ameaçados pela dona da empresa por conta das reivindicações. Fontes afirmam que há gente beneficiada por ser preposta da Marina Bacelar.

Se o CICOM entrar em greve, chamadas de emergências podem ser perdidas por conta da falta de responsabilidade de empresários.

Funcionários da Coelba entram em greve em 12 cidades

A partir desta segunda-feira (13) os funcionários da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) entraram em greve em Salvador e em outras 11 cidades do interior da Bahia. Em Juazeiro, no norte do estado, foram afetados setores como atendimento, departamento comercial e operações, mas as chamadas de urgência estão sendo atendidas.

Após reunião na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), em Salvador, o sindicato da categoria e a empresa não entraram em consenso a respeito dos reajustes no plano de saúde dos funcionários.

A Coelba disse que até agora já foram feitas 15 reuniões com a categoria e está em negociação com o sindicato para fechar o acordo coletivo. A empresa disse ainda que está adotando todas as providências para garantir a prestação dos serviços.

Além de Juazeiro e Salvador, funcionários da Coelba também estão parados em Camaçari, Itabuna, Teixeira de Freitas, Bom Jesus da Lapa, Barreiras, Feira de Santana, Santo Antônio de Jesus, Eunápolis, Paulo Afonso e Serrinha.

Funcionários passam Natal sem o 13º terceiro

FTC Itabuna não paga funcionários

FTC

A Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC) de  Itabuna não pagou os 13º salário dos colaboradores e professores. Segundo informações, a direção informou que não tem previsão para o pagamento.

Em função disso os professores estão dispostos a não lançarem as notas da prova final na caderneta eletrônica até o pagamento do 13º salário. Com isso os estudantes serão prejudicados, já que vão passar o natal com a expectativa do resultado das provas.

Prefeitura

Alguns secretários de Itabuna acabaram não recebendo o 13º salário por opção do prefeito Claudevane Leite. O salário liquido do secretário no município é de R$ 13 mil, com o pagamento do 13º no mês de dezembro o salário seria de R$ 26 mil.

Mas o prefeito decidiu não pagar o 13º salário aos secretários e seguiu a orientação da procuradoria jurídica do município. Vale lembrar que no governo passado o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), determinou que os secretários devolvessem o 13º salário.

Santa Casa

Os servidores da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna denunciam que estão sem receber o 13º salário. De acordo com os funcionários, nenhuma parcela foi paga e não há previsão para o pagamento. O prazo máximo determinado por lei encerrou na sexta-feira (20).

Ainda com base nos funcionários, um aviso foi colocado no mural no final da tarde de sexta-feira (20) que décimo só será pago após o natal.

Trifil corta benefício natalino e revolta funcionários

Trifil corta benefício à funcionários (Foto: Divulgação)
Trifil corta benefício à funcionários (Foto: Divulgação)

Após 13 anos de auxílio alimentício para a ceia de Natal, a fábrica da Trifil em Itabuna resolveu cortar o ticket de alimentação. A decisão pegou os funcionários de surpresa, que pararam os serviços por dois dias seguidos durante 1 hora.

Mesmo tendo a produção e o lucro reduzidos, a empresa não se abalou com a paralisação e o sindicato resolveu anunciar uma greve para os meses de janeiro e fevereiro, época em que a fábrica gera maior lucro. A bola de neve estaria tão grande que resultou na demissão de duas pessoas de alto nível.

O ticket de alimentação com o valor de R$ 85,00 era dado para cada funcionário na época natalina como forma de bonificação. Com o corte do benefício, os funcionários estão revoltados pela falta de consideração da empresa, visto que o trabalho na fábrica é pesado demais e oferece riscos. Em setembro deste ano um funcionário teve morte instantânea ao cair dentro de uma caldeira no momento do expediente [relembre aqui].

Hospital de Base recadastra funcionários

Entre os dias 10 e 20 de julho, a Fundação de Assistência à Saúde de Itabuna (Fasi) realizará o recadastramento de todos os funcionários concursados ou contratados da instituição. A diretoria convoca, além dos servidores em exercício, aqueles profissionais que estão afastados por licença médica, licença sem vencimentos ou trabalhando em outras Secretarias. O recadastramento obrigatório será realizado em horário comercial no Hospital de Base.

A diretoria Administrativa e Financeira informa que será necessário apresentar cópia da carteira de identidade (RG), CPF, comprovante de residência, certidão de nascimento dos filhos menores de 18 anos, certidão de casamento, ultimo contracheque e sendo concursado, o decreto de nomeação e termo de posse. Afora isso, será necessário identificar o órgão no qual trabalha, informando unidade e local, tipo de vínculo, data de admissão, jornada de trabalho e atividades desenvolvidas.

Segundo o presidente da Fasi, Paulo Bicalho, o recadastramento é um procedimento comum que já aconteceu em outros setores da administração municipal. “É importante, pois com a informatização termos um alinhamento desses dados para possíveis avaliações e localização dos servidores, visto que houve realocação de alguns para outros setores” explicou.

O dirigente destaca que o procedimento é importante não só para a instituição, mas para os próprios funcionários também, visto que as informações servirão de instrumento para a gestão dos recursos humanos. O presidente da Fasi assegurou que para evitar filas, os servidores podem pegar o formulário no Setor Pessoal no prazo estipulado, para responder e apresentar posteriormente com fotocópia de toda a documentação.