Aumento de R$ 3 reais no Ticket Alimentação faz funcionários da Penalty pararem

Registro de um protesto realizado em 2011
Registro de um protesto realizado em 2011

Na manhã desta quinta-feira (30) funcionários da fábrica da Penalty paralisaram as atividades por duas horas na porta da empresa. O Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias Têxteis e Calçadistas (Sintratec) foi o responsável pela organização do protesto.

De acordo com Geser Cardoso, presidente do sindicato, a paralisação aconteceu depois que a empresa ofereceu um aumento de R$ 3 reais para o Ticket Alimentação. Segundo ele, não houve reajuste no piso salarial que atualmente é de R$ 755,00.

Para a próxima semana está prevista uma paralisação de 3 horas. O intuito do movimento é uma reunião com empresários para negociação.

Após denúncia sobre rato, Coca-Cola convida consumidor a visitar fábrica

A Coca-Cola Brasil divulgou nesta quinta-feira (26) um vídeo que mostra o processo de produção do refrigerante e narra sobre como acontece o procedimento de qualidade. Por fim, a empresa convida os consumidores à visitarem alguma fábrica da Coca-Cola e checarem por si mesmo como o produto é feito e embalado.

O vídeo seria uma resposta contra a denúncia de um homem que encontrou uma cabeça de rato dentro de uma garrafa do refrigerante em 2000. [Relembre]

Corpo de funcionário morto em fábrica é velado

Familiares e amigos fazem fila para se despedir do jovem / Foto: Ednaldo Pinto
Familiares e amigos fazem fila para se despedir do jovem / Foto: Ednaldo Pinto

O corpo do jovem Joadyson Bispo de Oliveira, 19 anos, morador do Vale do Sol, teve seu corpo velado na manhã desta quinta-feira (19) em sua residência. Joadyson morreu nesta quarta-feira (18) após ser mutilado por uma máquina ao cair dentro da caldeira do setor de tintas da Fábrica Trifil, localizada no bairro Nova Ferradas, em Itabuna.

Vitória da Conquista: Funcionários de fábrica passam mal

Na última quarta-feira (24) cerca de quarenta funcionários de uma fábrica de calçados em Vitória da Conquista passaram mal e precisaram de atendimento médico. A suspeita é de que a água da empresa possa estar contaminada, o que é negado pela companhia.

A Vigilância Sanitária da cidade foi acionada para descobrir a causa do mal estar dos funcionários, que têm sintomas como tonturas, enjoo, vômito e diarréia. Foi recolhida uma amostra da água da fábrica Dass Nordeste Calçados.

Na quarta, cerca de 30 funcionários buscaram atendimento, na quinta, outros dez continuaram passando mal.

A empresa também solicitou análise da água e dizem que resultado foi negativo, suspeitando que os funcionários tenham consumido algo fora do local de trabalho que causou o mal estar. “Recebemos mais 10 visitas ao nosso laboratório de colaboradores do turno que inicia às 16h. Então a gente parte do pressuposto de que estas pessoas ficaram até as 16h em suas casas, então não necessariamente elas consumiram alguma água que foi servida pela empresa”, diz o gerente Gilvan Batista.

Batista diz ainda que um resultado preliminar de análise da água feita pela Embasa atesta a qualidade da água e, por isso, nenhuma mudança nesse sentido está prevista.