Alunos fazem manifestação em frente ao colégio CISO

Nesta manhã de quinta-feira (19) os alunos do colégio CISO, em Itabuna, estão fazendo uma manifestação reivindicando horários para fazerem as provas finais. Segundo eles, a diretora não determinou um horário fixo, o que faz com que os alunos cheguem cedo demais e ficam expostos nas ruas, correndo risco, sendo que a localidade é famosa por sofrer constantes assaltos.

Alunos fecharam rua do CISO (Foto: Ednaldo Pinto)
Alunos fecharam rua do CISO (Foto: Ednaldo Pinto)

O colégio encontra-se fechado e os estudantes estão parando a rua. A Polícia Militar está no local para garantir a segurança e disseram que os estudantes estão em seus direitos.


Comissão de Feliciano aprova projeto para tentar tirar direitos de gays

Ontem (20) a Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados – que tem como presidente o deputado Marco Feliciano (PSC-SP) e é dominada pela bancada evangélica – aprovou dois projetos para tentar retirar direitos obtidos pelos homossexuais. Também foi rejeitado um terceiro projeto que era favorável ao público gay, beneficiando companheiros de homossexuais. Todas as propostas serão submetidas ainda a outras comissões e ao plenário da Casa.

Pastor Marcos Feliciano diz que não tem medo do enfrentamento (Foto: Divulgação)
Pastor Marcos Feliciano diz que não tem medo do enfrentamento (Foto: Divulgação)

O primeiro projeto aprovado prevê um plebiscito para decidir sobre o reconhecimento da união civil de cidadãos do mesmo sexo. A proposta, de autoria do deputado André Zacharow (PMDB-PR) e relatada pelo deputado Marcos Rogério (PDT-RO), tem como efeito prático tentar derrubar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que legalizou esse tipo de união.

A segunda proposta, na mesma linha, de autoria do deputado Arolde de Oliveira (PSD-RJ) e relatada pelo deputado Pastor Eurico (PSB-PE), quer sustar por decreto legislativo a resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obrigou cartórios de todo País a registrar casamentos de homossexuais. As duas propostas irão a outras comissões e depois a plenário.

Bandeira da comunidade gay
Bandeira da comunidade gay

O projeto rejeitado visava tornar lei que os companheiros homossexuais de funcionários públicos e beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passariam a ser considerados dependentes destes, tendo direito, por exemplo, a receber pensão. O projeto é de autoria do ex-deputado Maurício Rands (PSB-PE) e teve parecer contrário oferecido por Pastor Eurico. Apesar da rejeição, o texto segue para outras comissões e terá de ser votado em plenário.

Feliciano ironizou eventuais críticas que poderá receber por conduzir votações como esta. “Meu papel é, simplesmente, votar. Não tenho medo do enfrentamento, não tenho medo do que escreve a mídia. O jornal de hoje embrulha o peixe de amanhã”, afirmou, da cadeira de presidente da Comissão de Direitos Humanos.

O deputado foi alçado ao cargo em meio a protestos de grupos da área que o acusam de homofobia e racismo por declarações dadas antes de chegar ao comando da comissão. Após meses de tumultos nas sessões, o deputado fez uma agenda voltada para audiências públicas para tentar esvaziar a dos protestos. A opção por por a proposta em pauta se deve à proximidade do fim do mandato como presidente e para cumprir o desejo da bancada evangélica de levar adiante as posições nesse colegiado.

(do Folhapress)

II Plenária Popular de Itabuna nesta sexta-feira

Nesta sexta-feira (5) a partir das 18h acontece a II Plenária Popular de Itabuna na praça do Rio Cachoeira, na Beira Rio, promovida pelos movimentos sociais. O objetivo é avançar nas reivindicações e organizar a luta pela melhoria do transporte público na cidade. Além disso, uma nova reunião está marcada para a próxima terça-feira (9) para discussão da gratuidade da passagem e regulamentação dos mototaxistas.

As manifestações em Itabuna têm garantido alguns avanços na pauta do transporte. O prefeito Claudevane Leite voltou atrás sobre a declaração do aumento da passagem para R$ 2,40, e agora garante exigir melhoria na qualidade dos serviços prestados.

Cidades do interior da Bahia em onda de protestos

Foto: Ednaldo Pinto

Manifestantes de toda a Bahia também foram às ruas ontem em, pelo menos, 16 cidades. No entanto, diferentemente do que aconteceu em Salvador, com muito “quebra-quebra”, os protestos transcorreram de forma pacífica em todas as localidades – incluindo Feira de Santana, Valença, Santo Antônio de Jesus, Jequié, Itaberaba e Porto Seguro. Além dessas cidades, manifestações ocorreram em Mundo Novo, Juazeiro, Jacobina, Itabela, Paulo Afonso, Teixeira de Freitas, Brumado, Itabuna, Ilhéus e Seabra.

Em Feira de Santana, a 108 quilômetros de Salvador, os manifestantes saíram da Praça do Colégio Gastão Guimarães em direção ao prédio da prefeitura. A estimativa da PM é que 10 mil pessoas tenham participado. “Tudo foi muito tranquilo. Nos solidarizamos com a pauta nacional, mas também reivindicamos questões locais, como a melhoria da educação e a redução da taxa de iluminação pública”, contou a professora Lucélia Marinho, 31 anos, uma das participantes.

Já em Jequié, no Sudoeste do estado, mais de seis mil pessoas foram às ruas, segundo a PM. Os manifestantes, que pintaram a máscara no rosto, percorreram ruas da cidade até chegar na Praça da Câmara Municipal. “Não somos os cara-pintadas, mas muita gente usou isso como protesto. Cantamos o Hino Nacional várias vezes, pedimos por novos livros e por uma educação melhor”, descreveu o servidor público Luciano Medina, 29.

Em Porto Seguro, os participantes estimaram que cerca de quatro mil pessoas  compareceram  à manifestação. “Estamos unindo forças para reivindicar não só pela passagem. É pela saúde, é pela educação. E desde o início deixamos claro que não queríamos violência”, disse o comerciante Samaicon Sousa, um dos organizadores do movimento.

Em Itabuna cerca de 3 mil pessoas saíram as ruas para exigirem seus direitos. O manifesto partiu da praça do bairro São Caetano e fizeram uma pausa em frente a prefeitura para entregarem um documento com reivindicações ao prefeito. Em seguida caminharam até o centro da cidade, encerrando no final da avenida Juracy Magalhães. A Polícia Militar acompanhou todo a manifestação, que foi pacífica.

EXCLUSIVO: Itabuna se prepara para novo manifesto

Na tarde desta quinta-feira (20) acontece um novo manifesto em Itabuna com a população reivindicando seus direitos. A proposta é concentrar o grupo a partir das 14 horas na praça do São Caetano e em seguida caminhar para a prefeitura, onde entregarão um documento ao poder público negando o aumento da passagem de ônibus sem que seja revisto todo o contrato da empresa. De acordo com o Cel. Reis, do Comando de Policiamento Regional (CPR/Sul), cerca de 300 homens da Polícia Militar vão acompanhar o manifesto para garantir a segurança das pessoas e dos manifestantes. Daqui a pouco no Blog do Tom, entrevista com um dos organizadores do manifesto. Segundo informações, já existe um pequeno grupo formado no São Caetano.