Apesar das dificuldades a Trifil continua acreditando em Itabuna

ricardoA Trifil é uma fabricante brasileira de moda íntima com uma fábrica sede em Guarulhos, no estado de São Paulo, e com uma unidade fabril em Itabuna, na Bahia. A empresa é líder no segmento e pioneira em explorar a tecnologia “sem costura” no Brasil. A companhia contempla 10.000 famílias diretas e indiretas em Itabuna e região.

O mercado têxtil nacional vive situações indesejáveis que preocupam investidores. As indústrias brasileiras enfrentam grande concorrência com produtos importados da Ásia e que com os encargos sociais no Brasil, adicionada a carga tributária torna nossa indústria pouco competitiva, ameaçando a geração de empregos.

A fábrica da Trifil está implantada em Itabuna há 13 anos e objetiva instalar novos setores no parque fabril. Dessa forma, abrindo novos horizontes e novas perspectivas para elevação de empregos na cidade. Entretanto, para que este “sonho” possa se concretizar é necessária à ajuda do Governo do Estado, Prefeitura de Itabuna e iniciativa privada para a contratação de mão de obra e geração de emprego e renda.

O comércio de Itabuna, que chegou a ser o segundo do estado, hoje amarga uma depressão nunca vista em sua história, mas tenta reagir com melhores serviços e novos produtos. O efeito cascata abolou empresas como a Trifil. A companhia enfrenta dificuldades constantes, porém, continua acreditando em Itabuna com polo fabril da empresa.

Projetos para beneficiar os 2.500 funcionários da casa já estão em andamento.

Dificuldades para marcação de exame pelo SUS

As pessoas que necessitam dos serviços prestados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Itabuna vem enfrentando diversas dificuldades, tendo em vista que faltam materiais, médicos, medicamentos e até mesmo equipamentos básicos. Segundo a população que utiliza os serviços do SUS, os problemas continuam mesmo após as mudanças ocorridas nos setores da administração pública municipal, proposta pelo prefeito Claudevane Leite.

Várias pessoas reclamam pela demora de marcação de exames, que chegam a esperar por meses para uma marcação ser feita. Pessoas também, muitas vezes idosos e de outras cidades, dormem de madrugada na fila para poder garantir a senha de atendimento, que não rende para todos.

Há uma desorganização muito grande por parte da Secretaria de Saúde, que um dia já foi melhor. É preciso regularizar toda a situação do município e priorizar as necessidades das pessoas que dependem do SUS. Pacientes esperam por horas em recepção de hospitais aguardando atendimento no pronto-socorro. Desse jeito não tem como a cidade desenvolver.

Atualização:

Moradores informam que os postos dos bairros Vilas das Dores e João Soares, entre outros, estão sem médicos. Famílias carentes estão sem atendimentos por falta de médicos em postos de saúde.