Novos diagnosticados com HIV recebem tratamento imediato

O Diário Oficial da União publicou nesta terça-feira (2) portaria que define mudanças no atendimento a pessoas portadoras do HIV. Conforme anunciado pelo Ministério da Saúde neste domingo (1º), Dia Mundial de Luta contra a Aids, a partir de agora, assim que a pessoa for diagnosticada com o vírus receberá o tratamento imediato na rede pública com uso de antirretrovirais.

O governo espera que a medida contribua para reduzir as possibilidades de transmissão, uma vez que esse tipo de tratamento reduz a carga viral e oferece melhor qualidade de vida ao paciente. Segundo a portaria, o novo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV em Adultos, disponível no site www.aids.gov.br, é de caráter nacional e deve ser usado pelas secretarias de Saúde dos estados e dos municípios na “regulação do acesso assistencial, autorização, registro e ressarcimento dos procedimentos correspondentes”.

O documento também estabelece que é obrigatório informar ao paciente, ou a seu responsável legal, os potenciais riscos e efeitos colaterais relacionados ao uso da terapia antirretroviral. Os gestores estaduais e municipais do Sistema Único de Saúde, conforme a sua competência e pactuações, deverão estruturar a rede assistencial, definir os serviços referenciais e estabelecer os fluxos para o atendimento das pessoas com a doença.

A expectativa do Ministério da Saúde é incluir mais 100 mil pessoas no tratamento em 2014 com a mudança de protocolo. Desde o início da oferta de antirretrovirais pelo sistema de saúde, há 17 anos, 313 mil pessoas foram atendidas.

(Informações da Agência Brasil)

FICC realiza diagnóstico cultural de Itabuna

Presidente da FICC Roberto José da Silva reunido com os técnicos do diagnósito.
Presidente da FICC Roberto José da Silva reunido com os técnicos do diagnósito.

A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) está realizando um diagnóstico cultural com objetivo de inventariar os equipamentos culturais disponíveis bem como os de suporte cultural, incluindo hotéis, restaurantes, etc. Com base nos elementos colhidos a fundação poderá elaborar projetos e planos para fomentar a cultura no município.

O diagnóstico realizará ações integradas de estudos em fontes documentais e bibliográficas; pesquisa de campo, inventário, registros fotográficos, etc. Segundo o presidente da FICC e coordenador do projeto Roberto José da Silva, o resultado final deste trabalho será publicado em livro até final de dezembro de 2013, a fim de garantir sua divulgação e propagação.

Roberto acrescenta, ainda, que “este é o verdadeiro valor da pesquisa, o de assegurar para todos os interessados o acesso democrático à informação dos nossos produtos culturais, da nossa história e identidade conscientizando esses públicos para os seus papéis na sociedade itabunense”.

Com o projeto, a FICC vai ,apear as principais demandas e dificuldades enfrentadas pela comunidade itabunense no âmbito da Cultura e levantar dados e informações relevantes para uma análise situacional da área, identificando as lacunas estruturais a fim de subsidiar a construção do Plano Decenal Municipal de Cultura, que constitui um dos pontos obrigatórios para a legitimação do Sistema Municipal de Cultura, tratando-se de uma política de Estado para a cultura itabunense.

Além da coordenação de Roberto José da Silva, que é graduado e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe, com experiência em pesquisa e diagnóstico social, o projeto conta também com o trabalho técnico da pesquisadora Jackeline Modesto, psicóloga e especialista em diagnóstico juvenil; do pesquisador Evaldo Borges, mestre em geografia pela UNESP e da professora Genny Xavier, responsável pela coordenação técnica para implantação do Sistema Municipal de Cultura de Itabuna e com reconhecida experiência a cerca do movimento cultural da cidade.