Tupinambás se recusam a deixar terras invadidas na Bahia

A Justiça Federal determinou que os autodeclarados índios tupinambás deixem as terras que invadiram no Sul da Bahia. Eles se negam a cumprir a decisão.

Em despacho, o juiz Lincoln Pinheiro relata a justificativa do autointitulado cacique Babau: “Disse ele que não poderia conciliar porque os ‘Encantados’ não querem e que perderia poderes caso desobedecesse a sua vontade”, conforme informou em publicação no site da revista Época.

Encantados”, depreende-se, são as divindades dos tupinambás, considerados extintos desde o século XVII. O juiz Pinheiro lembra que “ninguém pode deixar de cumprir obrigações invocando a própria crença”.

Babau, o índio nos moldes do século XXI

Um delegado federal participou de evento no Rotary Club de Itabuna e fez comparação entre sua própria situação econômica e as condições de vida do “Cacique Babau”, líder indígena que lidera as ocupações de terra na região da Serra do Padeiro, em Buerarema. Dizia a autoridade:

Sou servidor público federal há cerca de 20 anos e há pouco tempo terminei de pagar o financiamento de um carro 2011, além de ainda não ter quitado meu apartamento… Fiquei impressionado quando cheguei à zona rural de Buerarema e encontrei Babau em uma grande casa de fazenda, onde havia estacionadas cinco picapes de luxo. Ao que parece, ele é hoje um homem milionário.

O mesmo policial não deixou animados os produtores rurais presentes no evento. Segundo ele, as coisas caminham para que a reserva indígena na região seja realmente estabelecida.

(Por Davidson Samuel – Pimenta)

Produtores de Buerarema relatam sua versão dos fatos

Produtores relatam sua versão.
Produtores relatam sua versão.

Em entrevista exclusiva ao Blog do Tom, produtores rurais de Buerarema relataram sobre o abuso dos supostos índios tupinambás na tentativa de retomada de terras na região. Na última quarta-feira (14) produtores foram atacados e perderam cerca de R$ 13 mil em mercadorias e dinheiro, levados por um bando que se identificava como tupinambá. Leia mais…