Comando Popular de Itabuna participa da Conferência Municipal da Igualdade Racial

Nesta quarta-feira (17) membros do Comando Popular de Itabuna marcaram presença na abertura da II Conferência Municipal da Igualdade Racial. O evento, que aconteceu no auditório da FTC, teve como objetivo apoiar os movimentos e cobrar da prefeitura uma reunião que possa garantir avanços na negociação sobre o transporte público.

“Queremos passe livre para estudantes e desempregados, além de tarifa justa para os trabalhadores”, afirma um integrante do Comando. Segundo ele, o governo federal isentou as empresas dos impostos que influenciam no valor da tarifa, como o PIS e o COFINS, mas não é visto esta aplicação na cidade.

(Com informações do Blog do Gusmão)

ANEL apoia a ocupação na prefeitura de Ilhéus

O movimento ativista ocupou o Palácio Paranaguá desde ontem (16/07), quando a ANEL divulgou sua posição. Com o dinamismo dos fatos recentes, é preciso considerar que o Palácio Paranaguá já foi desocupado (há poucos instantes) e o texto foi escrito ontem. Mas a validade dos seus argumentos permanece. Segue abaixo o conteúdo integral do documento apresentado pela Assembleia Nacional de Estudantes – Livre.

Nota Sobre a Ocupação da Prefeitura de Ilhéus

Na manhã de hoje (16/07), cerca de 60 integrantes do Movimento Reuni Ilhéus ocuparam o prédio da prefeitura. A ação que ocorreu de forma pacífica tem como objetivo principal conseguir a redução no valor da passagem do transporte coletivo para R$ 2,00. Desde o mês passado, quando houve um ato que reuniu mais de 5 mil pessoas, os integrantes do movimento vem tentando conquistar a redução no valor da passagem que é proporcionalmente um dos mais caros do país.

A ação foi deliberada após ter se encerrado o prazo de 24 horas dado pelos integrantes do Reuni para o executivo entregar os dados contábeis das empresas de ônibus. Poucos minutos após a ocupação o prédio foi fechado e até o momento não houve nenhum pronunciamento do poder público municipal. Parte do saguão do primeiro andar foi bloqueada por guardas que estão impedindo os manifestantes de ter acesso ao banheiro, como forma de fazer com que os mesmos saiam do prédio.

A situação do transporte público em Ilhéus é caótica, a população paga caro por um serviço de péssima qualidade (superlotação, espera prolongada nos pontos, ônibus velhos e sujos). Por esses motivos a intenção dos manifestantes é permanecer no local até que o prefeito decrete a redução no valor da passagem e para isso pedem o apoio da população de Ilhéus: sindicatos, associações e independentes.

Entendemos o transporte público como uma necessidade básica e um direito que deve ser assegurado pelo Estado a todo cidadão de forma gratuita e com qualidade, mas infelizmente hoje esse serviço é controlado pela iniciativa privada, dessa forma o lucro das empresas é priorizado em detrimento dos usuários. Esse esquema gera uma verdadeira máfia em que os empresários do transporte financiam as campanhas eleitorais e depois os vereadores e o prefeito asseguram seus lucros exorbitantes.

Precisamos exigir a municipalização do transporte público, sob o controle dos usuários e trabalhadores do transporte; passe-livre para estudantes, desempregados e idosos; e passagem a no máximo R$ 1,00 para os(as) trabalhadores(as). E acreditamos que a única forma de garantirmos esse direito é através da organização e da mobilização dos trabalhadores e da juventude. Venha fazer parte desse movimento em prol de mudanças que beneficiarão a todos!

“Se o presente é de luta o futuro nos pertence.”

Assembleia Nacional dos Estudantes – Livre (ANEL)

Mais informações

Manifestantes devem conversar com prefeito na próxima terça-feira

Controlador geral Oto Matos recebe e assina documento. Foto por Wilson Oliveira

Na próxima terça-feira (25), às 9 horas da manhã, o prefeito Claudevane Leite deve receber o grupo da Anel (Assembleia Nacional dos Estudantes Livres), que representam os movimentos sociais que defendem melhoria nos sistema de transporte público municipal. Na tarde desta quinta-feira (20) durante o manifesto,   um documento contendo reivindicações foi entregue a uma comissão do governo formada pelo Controlador-Geral Oto Mattos, Procurador-Geral Harrison Leite, secretária da Administração Mariana Duarte, da Fazenda Marcos Cerqueira e do Desenvolvimento Urbano, Marcos Monteiro.

As demandas apresentadas pelos movimentos incluem a redução da tarifa; realização de uma auditoria no sistema; melhoria da qualidade do serviço prestado pelas empresas Cachoeira e São Miguel, com aumento e renovação da frota; além de implantação de equipamentos de mobilidade urbana, como ciclovias, a extensão da meia passagem para estudantes de curso de Ensino à Distância, abertura das discussões para estudar a implantação do passe livre, regulamentação de transporte alternativo, a exemplo de moto-táxis, a abertura de licitação para nova empresa de ônibus, melhor acessibilidade à deficientes, entre outras questões.