Nilo diz que pode fazer mais que Wagner

O grupo do governador Jaques Wagner deverá anunciar no próximo dia 15 quem será seu candidato à sucessão estadual e o petista Rui Costa, secretário da Casa Civil, aparece como o preferido do chefe do executivo. O PT, além disso, não abre mão de ter candidato próprio encabeçando a chapa majoritária, mas…

… A parada não é vista como definida pelo presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo, do PDT. Nesta manhã, em entrevista ao programa Balanço Geral (Rádio Sociedade), o deputado afirmou ter reunido em um almoço 64 prefeitos e 41 deputados, no mesmo dia em que a presidenta Dilma Rousseff esteve na Bahia para assinar o contrato do metrô de Salvador e entregar apartamentos em Vitória da Conquista.

Disputei horário político com a presidente Dilma Rousseff, que tem tinta na caneta, declarou o parlamentar, que está há quatro mandatos na presidência da Assembleia Legislativa da Bahia. Em outro momento da entrevista, concedida a Armando Mariani, Nilo declarou: Eu teria seriedade e tranquilidade em manter tudo de positivo do governo Jaques Wagner, mas, se eu for governador da Bahia, eu farei muito mais.

Segundo o deputado, a confiança que ele deposita em si mesmo se deve ao fato de ter observado o que o atual governo fez de positivo e de negativo. A respeito dos pré-candidatos petistas ao governo, o presidente da Assembleia deixou escapar a seguinte avaliação:

“Politicamente, o governador merecia nomes melhores”.

(Por Davidson Samuel – Pimenta)

“Sou favorável como Deputado e principalmente como Presidente” afirma Marcelo Nilo sobre voto aberto

Na tarde desta quinta-feira (25) o apresentado Raimundo Varela, recebeu o Deputado e Presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, no programa Balanço Geral.

Varela questionou a posição do deputado com relação ao voto aberto, já que durante toda a semana citou publicações da imprensa baiana que afirmavam que o deputado era contra a medida que determinava o “Voto Aberto” nas votações de parlamentares.

Para início de conversa o deputado fez questão de esclarecer que é a favor a medida em qualquer que seja a situação. “Sou favorável como cidadão, sou favorável como Deputado e principalmente como Presidente da Assembleia”, afirma.

Nilo ainda foi questionado sobre as denúncias de que estaria utilizando soldados do estado para fazer sua segurança, o deputado foi curto e grosso. “Eu renuncio meu mandato aqui no Balanço Geral se alguém provar na Bahia, que eu peguei um militar para fazer serviço na minha casa”, afirma. Nillo ainda firmou que é direito parlamentar a utilização dos militares para esse serviço, apesar do mesmo afirmar que não ‘utiliza’.