Secretário de Agricultura de Itabuna estaria insatisfeito com o cargo

O secretário de agricultura de Itabuna, Lanns Almeida, teria confidenciado para algumas pessoas que está insatisfeito com o cargo. A prefeitura não executou nenhum projeto que ele elaborou em 2013. Para completar, para o orçamento de 2014, a verba da secretaria será comprometida aproximadamente 70% com a folha de pagamento.

Lanns Almeida cogitou a possibilidade de assumir a diretoria-executiva da Companhia de Ações Regionais (CAR), já que se cogitou a possibilidade do atual diretor, José Vivaldo, assumir uma secretaria no governo Wagner (PT).

Mas como isso não aconteceu, Lanns Almeida optou por continuar mesmo insatisfeito no governo do prefeito Claudevane Leite (PRB).

Informações do Políticos do Sul da Bahia

Ministro da Agricultura defende preço mínimo do cacau

O ministro da Agricultura, Antonio Andrade, participou da reunião da Câmara Setoria do Cacau em Brasília no auditório do ministério e defendeu a inclusão do cacau na Política de Garantia de Preço Mínimo (PGPM) da Companhia Nacional de Abastcimento (Conab). A expectativa era de que ao lançar o Plano Agrícola de Pecuário 20113/2014, na terça-feira (4), a presidente Dilma Rousseff anunciasse a inclusão e o valor, o que acabou não acontecendo. Segundo o ministro, o governo ainda está definindo o preço mínimo de várias culturas, inclusive do sisal, e o anúncio será feito de todas ao mesmo tempo. Mas ele garantiu que o Ministério da Agricultura já tem posição favorável definida quanto à inclusão do cacau. Foi a primeira vez que um ministro da Agricultura participou da reunião da Câmara.

Para o secretário da Agricultura da Bahia, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, a inclusão do cacau da PGPM será importante conquista não só da Bahia como da cacauicultura brasileira. Ele destacou que o preço mínimo é instrumento de política agrícola que vai significar a garantia de renda para o cacauicultor continuar produzindo. A reivindicação nesse sentido foi encaminhada pelo secretário e pelos produtore há cerca de dois meses, durante reunião com o secretário executivo do MAPA.

Os membros da Câmara questionaram o ministro sobre o destravamento do crédito, questão que vem sendo trabalhada pela Secretaria da Agricultura da Bahia junto ao Banco do Brasil e Banco do Nordeste do Brasil, ouvindo de Andrade que “o ministério apóia e vai lutar pelas indicações feitas pela Câmara”.

Com o ministro e com representantes da Secretaria de Defesa Vegetal do MAPA, os membros da Câmara Setorial do Cacau discutiram a Análise de Risco de Praga para o cacau que, de acordo com o ministério, deverá estar concluído até o fim do ano para Costa do Marfim, Gana e Indonésia, mas a Câmara pediu que sejam incluídos Camarão e Toga, países que exportam amêndoas de cacau para o Brasil.