Moradores e fazendeiros protestam na BR-101 contra morte de agricultor em região de conflito

Una – O Presidente do Assentamento dos Sem Terra do Ipiranga, na Vila Brasil, Juraci Santana, foi morto na madrugada desta terça-feira (11). A esposa da vítima está desaparecida.

Segundo informações policiais, Juraci chegava em sua propriedade quando foi surpreendido por uma emboscada feita por supostos “índios“.  A fazenda havia sido desapropriada e indenizada pelo governo federal há mais de dez anos.

Juraci é o homem de boné branco que aparece na imagem.
Juraci é o homem de boné branco que aparece na imagem.

O local onde ocorreu o homicídio foi onde a Força Nacional desmontou a campana e retornou para base na última sexta-feira (07/02).

O Assentamento Ipiranga tem 40 famílias e os caciques assediavam os agricultores para que estes se tornassem autodeclarados tupinambás. Apesar do assédio, conforme testemunhas, apenas cinco das famílias aceitaram a proposta dos caciques.

Atualizado 10h34min

Neste momento, o clima está quente em Buerarema! Os agricultores e moradores de Buerarema acabam de interditar a BR-101 no trecho de acesso ao município sul-baiano em protesto contra a onda de violência na região de conflito com índios tupinambás.

Atualizada às 11h39min

Os manifestantes atearam fogo em pneus e galhos de árvores sobre a ponte da BR-101. O trânsito está congestionado e formam-se filas quilométricas de veículos.

Foto: Macuco News.

Atualizada às 13h12min

A esposa do agricultor assassinado nesta madrugada de terça-feira (11), já foi encontrada sem ferimentos.

Atualizada às 16h54min

Os manifestantes continuam tentando derrubar parte da ponte da BR-101. Mais barricadas foram feitas e mais pessoas juntaram-se ao protesto. Com isso, a entrada e saída de veículos no município foram interditadas até cinco quilômetros de antes dos acessos, a fim de evitar a depredação dos automóveis. Mais viaturas da PRF foram solicitadas e deslocaram-se até o local. Por enquanto, nenhuma negociação foi feita.

Manifestantes lançaram pedras e coquetéis molotovs nos policiais, chegando a atingir os soldados diversas vezes. O reforço da Força Nacional, que está na cidade, foi solicitado, mas até por volta das 19h a ordem para o reforço não havia sido dada de Brasília.

DNIT

A ponte não poderá ser liberada até a avaliação de um engenheiro e conserto feito pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Técnicos do departamento já estão na rodovia, com o apoio da Polícia Rodoviária Federal, aguardando o fim da manifestação para solucionar o problema.

Atualizada às 22h20 – Posto de Combustível
Os conflitos continuam na cidade. De acordo com populares, manifestantes ameaçaram incendiar um posto de combustível na localidade, obrigando que funcionários abastecessem um veículo sem cobrar.

Atualizada às 23h – Marinha
Fuzileiros navais de Salvador foram avisados que devem ficar de prontidão. Caso seja necessário, eles podem ser acionados nesta quarta-feira (12) para se deslocarem para Buerarema e darem suporte a polícia.

Atualizada às 23h32 – Feridos
Pelo menos quatro policiais ficaram feridos por conta dos ataques em Buerarema. Eles foram medicados e passam bem.  Além disso, civis também ficaram feridos e precisaram ser encaminhado pro Hospital de Base de Itabuna.

Edinei de Jesus dos Santos, de 45 anos, foi atingido no olho.
Edinei de Jesus dos Santos, de 45 anos, foi atingido no olho.
Atualizada às 23h34 – Agências depredadas

As agências do Banco do Brasil e Bradesco foram depredadas em reação às bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha disparadas pela PM contra os manifestantes.

O confronto começou por volta das 17h20min, na BR-101, e terminou cinco horas depois. Manifestantes ficaram revoltados com a ação da tropa de choque.

 

Fazendas são reintegradas por agricultores em Ilhéus

Homens da Força Nacional cumprem reintegração no Santaninha (Foto Gilvan Martins/Pimenta)
Homens da Força Nacional cumprem reintegração no Santaninha (Foto Gilvan Martins/Pimenta)

Nesta sexta-feira (17) quatro mandados de reintegração de posse foram cumpridos por oficiais de justiça e homens da Força Nacional de Segurança em Ilhéus. As propriedades haviam sido invadidas por supostos índios que se declaram tupinambás.

As fazendas pertencem a pequenos produtores de Ilhéus e Buerarema. As reintegrações ocorreram em clima de tranquilidade, apesar da apreensão dos agricultores.

A Polícia Federal está fechando o cerco a comerciantes apontados como receptadores de cargas de cacau e gado na área de 47 mil hectares. No final de semana, um caminhão com gado bovino chegou a ser aprendido pela PF.

Informações do Pimenta

Agricultores ameaçam fechar BR-101 no Natal e Ano Novo

Na manhã desta quarta-feira (18) o grupo de agricultores de Buerarema informou ao Diário Bahia que a BR-101 pode ser novamente interditada no Natal e Ano Novo. Os manifestantes ameaçam interditar a rodovia caso a Polícia Federal não cumpra a promessa de instalar as três bases de pacificação nas áreas de conflitos – Buerarema, Ilhéus e Itajú do Colônia – além da reintegração de posse de cerca de 55 fazendeiros.

Agricultores realizaram várias manifestações contra a invasão de supostos índios (Foto: Divulgação)
Agricultores realizaram várias manifestações contra a invasão de supostos índios (Foto: Divulgação)

Na última quinta-feira (12) os produtores rurais protagonizaram um protesto que se arrastou até a madrugada de sexta-feira (13). O movimento provocou um congestionamento quilométrico.

“Eles prometeram instalar uma base no último sábado,14, e nada. Vamos esperar até a véspera do Natal, caso a PF não cumpra a promessa, não vamos deixar nenhum carro circular”, afirmou um produtor, que não quis se identificar.

Produtores de Buerarema relatam sua versão dos fatos

Produtores relatam sua versão.
Produtores relatam sua versão.

Em entrevista exclusiva ao Blog do Tom, produtores rurais de Buerarema relataram sobre o abuso dos supostos índios tupinambás na tentativa de retomada de terras na região. Na última quarta-feira (14) produtores foram atacados e perderam cerca de R$ 13 mil em mercadorias e dinheiro, levados por um bando que se identificava como tupinambá. Leia mais…