Fotógrafo de site é agredido por segurança de ACM Neto

Na tarde desta quinta-feira (16) o fotógrafo do site Bocão News, Juarez Matias, foi agredido por um segurança de ACM Neto durante caminhada na Lavagem do Senhor do Bonfim, em Salvador.
Fotógrafo flagra ação de segurança (Juarez Matias/Bocão News)
Fotógrafo flagra ação de segurança (Juarez Matias/Bocão News)
Quando chegava perto da Colina Sagrada, próximo ao Colégio Militar de Salvador, um rapaz tentou ultrapassar a barreira de seguranças do prefeito ACM Neto e logo foi impedido por um deles, que mobilizou o rapaz com uma “gravata” (imobilização com o braço no pescoço da pessoa. Ao presenciar a ação, o fotógrafo Juarez começou a registrar o momento, porém, quando estava fazendo seu trabalho, Juarez foi atingido por um soco no rosto, vindo de outro segurança de Neto. “Ele me agrediu. Me deu um murro na boca só porque eu estava registrando o fato. Estava ali trabalhando e não fiz nada de errado”, relatou o fotógrafo.
Segurança que agrediu o fotógrafo (Foto: Juarez Matias/Bocão News)
Segurança que agrediu o fotógrafo (Foto: Juarez Matias/Bocão News)
Ainda segundo Juarez, a violência foi registrada por um coronel, que acalmou o segurança. O agressor colocou a mão na cabeça quando Juarez, devidamente identificado, se apresentou e pediu que a polícia tomasse uma providência.
O segurança agressor foi retirado do local rapidamente.
Informações do Bocão News

Salvador é a capital do homicídio, diz jornal norte-americano

Elevador Lacerda - cartão postal em Salvador.
Elevador Lacerda – cartão postal de Salvador.

A violência na capital baiana foi destaque de uma reportagem publicada pelo jornal norte-americano The New York Times no domingo, dia 10 “Salvador agora tem mais homicídios por ano do que qualquer outra metrópole brasileira, incluindo São Paulo, que é quatro vezes maior. A repartição de segurança tem crescido de forma aguda e surreal, este ano, que as vítimas de homicídio estão sendo encontrados decapitados, como no caso de um corpo encontrado em uma estrada para o aeroporto, e torturado por multidões, como no caso de um estupro suspeito emboscado por moradores em uma favela chamada Bairro da Paz”, diz trecho da publicação.

A reportagem ressalta também o alto consumo de crack na região do Pelourinho, assim como a violência no bairro do Nordeste de Amaralina. “No mesmo bairro, em 2010, Joel da Conceição Castro, um menino de 10 anos, foi baleado na cabeça pela polícia em que foi descrito como uma operação fracassada contra os traficantes de drogas. Antes de ser morto, Joel estrelou um comercial de televisão que promove o turismo em Salvador”.

O The New York Times ainda critica também a administração do prefeito ACM Neto (DEM). “Desde que assumiu o cargo este ano, o senhor Neto colocou em movimento as medidas para aumentar as receitas, aumentando impostos sobre a propriedade e contratou a empresa de consultoria McKinsey & Company para encontrar formas de melhorar a eficiência da burocracia municipal”. (Com Metro1)

Evento discute o Pacto pela Saúde

Em um encontro, que lotou a sede da União Dos Municípios da Bahia (UPB), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), realizado pelo Ministério da Saúde e governo estadual na manhã desta sexta-feira (19), cerca de 100 municípios baianos já manifestaram interesse em participar do Programa Mais Médicos, lançado recentemente pela presidente Dilma Rousseff.

O evento tem como objetivo preparar os municípios para adesão ao programa do governo federal e prevê expansão e aceleração de investimentos em hospitais e unidades de saúde; o governador Jaques Wagner (PT) e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, participaram da oficina.

Durante o evento, o governador Jaques Wagner defendeu a participação de todos os municípios no programa e destacou que a ação deve diminuir o déficit de médicos no interior do estado, que hoje tem, em média, 0,7 médicos por 1.000 habitantes. “Para a gente ter uma ideia, a Argentina tem 3,5 médicos para mil habitantes, Portugal tem quatro e nós, se tirarmos as cidades grandes, temos um índice abaixo de 1/1.000. Por isso, o governo federal resolveu agir e esperamos melhorar o atendimento da saúde básica da população”.

Uma das ações do Mais Médicos é a convocação de médicos para atuação na atenção básica da rede pública de saúde, principalmente nos municípios do interior e em periferias de grandes cidades, onde há escassez desses profissionais. Os médicos receberão uma bolsa federal de R$ 10 mil e terão acompanhamento de supervisão de instituições públicas de ensino. O programa tem duração de três anos. Para aderir, os municípios devem fazer a inscrição no site do programa até o próximo dia 25.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, também participa da Oficina Estadual de mobilização de Adesão dos Municípios ao Programa Mais Médicos, que integra o Pacto pela Saúde e prevê a expansão e a aceleração de investimentos em hospitais e unidades de saúde. Além do ministro, o evento contou com as presenças do prefeito de Salvador, ACM Neto, o secretário da Saúde da Bahia, Jorge Solla