Secretário itabunense refuta na Câmara irregularidades no lixo

Nessa segunda, 06, o secretário de Administração, Dinaílson de Oliveira, negou irregularidades na limpeza urbana no que tange a valores financeiros e falhas na licitação do serviço. Os vereadores Jairo Araújo (PCdoB), Charliane Sousa (PTB) e Enderson Guinho (PDT) consideram exorbitante o valor global de R$ 3,3 milhões pagos à Bio Sanear (R$ 1,6 milhão por mês).

Sustentando economia nas despesas com lixo, o secretário comparou o contrato atual com o anterior (do prefeito Claudevane Leite). Conforme Dinaílson, em 2016, Itabuna gastava mensalmente R$ 728 mil com o contrato cujo objeto abarcava quatro itens, sendo a coleta o mais oneroso. “Passamos a ter 12 itens e pagamos R$ 582 mil pela coleta. Economizamos R$ 200 mil nesse item”, informou o titular da pasta.

Sobre a licitação da limpeza urbana, o secretário itabunense voltou a refutar qualquer ilegalidade. O procedimento licitatório, que teve como vencedora a própria Bio Sanear, está suspenso desde setembro por decisão da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Itabuna, a partir da ação judicial movida por outras licitantes. A Prefeitura recorreu e aguarda decisão do TJ baiano.

Deixar uma Resposta