Redução do orçamento força cortes de gastos e demissões de contratos

A queda de arrecadação, que de uma previsão de R$ 600 milhões agora em 2017 dificilmente chegará a R$ 450 milhões, está obrigando ao governo municipal a proceder cortes de gastos em todas as áreas e o estudo da demissão de mais de 400 servidores temporários contratados em diversas secretarias. O problema foi anunciado em entrevista do prefeito Fernando Gomes, onde destacou a necessidade de trabalhar de acordo com a arrecadação para evitar as sansões previstas pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

O prefeito salientou ainda, que os gastos com pessoal são elevados, citou que na educação, por exemplo, 90% dos recursos do Fundeb são destinados ao pagamento de salários. No governo como um todo, 66% dos recursos orçamentários estão sendo comprometidos com salários, bem acima do limite constitucional de 54%, obrigando aos ajustes que estão sendo realizados agora na Prefeitura de Itabuna.

Para Fernando Gomes, logo que a crise econômica do país diminuir e as receitas forem se normalizando “poderemos pensar na recontratação do pessoal contratado”. Ele também lembra que encontrou a cidade abandonada e com problemas em todas as áreas, inclusive necessitando atrair investimentos na indústria e comércio visando a geração de empregos para que Itabuna retome o seu desenvolvimento de forma sustentada mantendo a sua condição de liderança da economia regional.

Deixar uma Resposta