Prefeitura desmonta depósito que continha focos do aedes aegypti

Equipe de Fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Sema) realizou na quinta-feira (3), a remoção de inúmeras carcaças de televisores e outros materiais que estavam empilhadas dentro de uma casa e em um terreno no Alto da Tapera, na zona norte de Ilhéus, e serviam de reservatórios de água, facilitando a procriação do mosquito aedes aegypti.

A chegada da equipe ao local ocorreu após denúncias feitas por vizinhos à Sema. Morador da casa ao lado do imóvel interditado, José Eduardo Nascimento, de 43 anos, contou que o proprietário vinha sendo alertado sobre a irregularidade da conduta, “mas foi preciso os agentes vir aqui para esvaziar o local”. O chefe da Fiscalização da Sema, Paulo Fonseca, afirmou que isso configura crime ambiental, além de estar colocando a saúde da comunidade em risco.

Nos fundos da casa, além de mais carcaças de material eletrônico, foi encontrada uma caixa d’água totalmente desprotegida, que possuía larvas do mosquito aedes aegypti. Por isso, o secretário municipal de Indústria e Comércio, Roberto Garcia, que acompanhou o serviço, afirmou que foi necessário acionar o setor de Endemias da Secretaria de Saúde.

Os comentários estão fechados.