Índice de lepra é alto em Itabuna

A Prefeitura Municipal de Itabuna iniciou nesta segunda-feira (04) a Campanha Municipal de Conscientização Sobre Hanseníase, que seguirá até a próxima sexta-feira (08). O objetivo é prevenir, diagnosticar, rastrear e tratar casos de hanseníase, popularmente conhecida como lepra. A campanha acontece através da Secretaria Municipal de Saúde e do Programa Municipal de Prevenção e Tratamento da Hanseníase.

Manchas esbranquiçadas e caroços pelo corpo podem ser indícios da doença.

A secretária municipal de Saúde, Lísias Miranda São Mateus, explica que a incidência de casos de hanseníase em Itabuna é relativamente alto, comparado com os índices de controle e rastreio determinados pelo Ministério da Saúde. “O ideal é que haja um caso de hanseníase para cada grupo de 10 mil habitantes. Itabuna está com um índice de 2,8 casos em 2017”, disse ela.

Para efetivar a campanha, a coordenadora do programa, Moema Farias de Oliveira, organizou uma força-tarefa cujos trabalhos estarão concentrados na Unidade Básica de Saúde Dr. José Maria de Magalhães (antigo SESP), localizado na avenida Inácio Tosta Filho, Centro (atrás do Shopping do Camelô, ao lado da FTC e Receita Federal).

Esse índice, na verdade, não significa que a quantidade de casos está crescendo. O que ocorre é que Itabuna está contando com um trabalho eficiente e mais articulado de detecção. Estamos falando de uma doença cujo tempo de incubação é de até 10 anos e muitas pessoas ignoram os sintomas achando que é bobagem, quando na verdade pode ser hanseníase”, explicou Moema Farias.

Sintomas e atendimento

Entre os principais sintomas de que uma pessoa possa estar com hanseníase, estão a falta de sensibilidade na pele para instrumentos perfuro-cortantes, frio ou calor, manchas esbranquiçadas, caroços de qualquer tipo ou tamanho, mãos com dificuldades de movimentos (dedos em forma de ganchos ou garras).

Por essa razão, pessoas que apresentarem quaisquer resquícios, ainda que mínimos, de anormalidades na pele devem procurar o nosso centro de saúde”, ratificou a coordenadora do Programa de Hanseníase, indicando ainda que um outro dado preocupante foi o registro de 5 casos da doença, em 2017, entre crianças e adolescentes com idade de até 15 anos.

Para receber o atendimento, gratuitamente, basta que o interessado compareça à Unidade Básica Dr. José Maria de Magalhães, portando carteira de identidade, cartão do SUS e comprovante de residência, no horário das 7h30min às 16h30min. Informações completas podem ser conseguidas também por telefone, através do número (73) 3613 6442. Ao todo, cinco consultórios estão preparados para receber pacientes, com equipe médica, enfermeiros e fisioterapeutas. A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde é de 35 atendimentos por dia.

Deixar uma Resposta