Ex-vereador de Itabuna é condenado a 19 anos de prisão

Após a denúncia feita pelo Ministério Público acerca de um esquema criminoso na Câmara de Vereadores em 2012, o juiz da 2° Vara Criminal de Itabuna julga o ex-vereador Clóvis Loiola culpado. O ex-parlamentar deverá cumprir uma pena de 19 anos 05 meses e 10 dias de reclusão, em regime inicial fechado. Além dele, outras quatro pessoas foram presas.

De acordo com o MP, Loiola estava envolvido em fraudes de processos licitatórios para beneficiar empresas, propiciando desvio de verbas públicas. Segundo a denúncia, a empresa Mozaico Fábrica de Resultados Ltda – ME, foi ilegalmente beneficiada no processo de licitação, modalidade tomada de preços, por ato protagonizado por Kleber Ferreira da Silva, então Presidente da Comissão de Licitações da Câmara de Vereadores local, e por orientação de Clóvis Loiola, então Presidente da Câmara de Vereadores, em prejuízo da empresa BS Marketing Assessoria e Promoções Ltda.

Ainda de acordo com o MP, os condenados foram denunciados por formação de quadrilha, fraude em licitação e peculato. Após investigações, ficou comprovado que Loiola emitia cheques no valor de R$ 40 mil por mês para a empresa Mosaico. Esta que, por sua vez, retiraria os impostos e o valor do serviço (cerca de R$ 7 mil) para devolver o restante para o grupo. Kleber Ferreira , Alisson Rodrigues e Eduardo Freire dividiam o valor em cheques nominais.

Os comentários estão fechados.