Esporte e Cultura: Projetos da FICC ganham apoio importantes

O presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), Roberto José da Silva, participou, nesta segunda-feira (1º), de uma reunião com o secretário de Esportes, Recreação e Lazer, Ewans Maxuel, e com a secretária de Planejamento e Coordenação de Qualidade de Vida – Seção de Esporte da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) cujo principal objetivo foi o de articular três programas novos que serão implantados em Itabuna, ainda no primeiro semestre de 2016.


Os novos programas apresentados foram o “Vida Saudável”, que amplia a prática de atividades físicas, culturais e de lazer envolvendo todas as faixas etárias e as pessoas portadoras de deficiência, estimulando a convivência social e contribuindo para que o esporte e lazer sejam tratados como políticas e direitos de todos; o “Luta pela Cidadania” que vem incentivar a prática de lutas e artes marciais, como forma de inclusão social e cidadania; e o programa “Segundo Tempo”, que vem desenvolver e democratizar o acesso à prática e à cultura do Esporte de forma a promover o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens, como fator de formação da cidadania e melhoria da qualidade de vida, em áreas de vulnerabilidade social. Os programas são do Governo Federal e suas implantações recebem apoio direto e contrapartida da Prefeitura de Itabuna, através da FICC e da Secretaria de Esportes.

Segundo o Secretário Municipal de Esportes, Evans Maxwel, “através destes projetos, via governos federal e municipal, oportunizaremos a prática de exercícios físicos, com atividades culturais e de lazer abrangendo crianças, jovens e idosos, como também aos portadores de deficiência física“. De acordo com Roberto José, o programa “Segundo Tempo”, um dos principais a serem implantados na cidade, vem somar com o Viv-à-rte, que também já desenvolve ações sociais e culturais, proporcionando estimular entre as crianças, jovens e adolescentes o protagonismo da sua própria história. “Os educadores sociais que trabalham no Viv-à-rte, em sua maioria, são o espelho para essas crianças que não têm a figura do pai ou que vêm de famílias desestruturadas”.

Roberto explicou ainda que o Segundo Tempo está em sua fase final de formatação, e que todo o processo está sendo feito para que o programa chegue a Itabuna fazendo grandes mudanças na vida de crianças e jovens em vulnerabilidade social. A expectativa é a de que, em 2016, sejam atendidas pelo menos 1.500 crianças e jovens. Pelo Viv-à-rte, a FICC atendeu cerca de 5.500, nos cursos de Ballet, Capoeira, Futebol, Violão e Boxe. Em todos os projetos sociais da FICC, a população pode contar com cursos livres e gratuitos.

Os comentários estão fechados.