Espírito Santo chega ao 6º dia sem PMs nas ruas; 101 mortes até o momento

O Espírito Santo chega nesta quinta-feira (9) ao sexto dia sem policiais militares nas ruas. Ônibus vão voltar gradativamente a circular na Grande Vitória, mas apenas poucos coletivos foram vistos nas ruas. Algumas lojas devem abrir, mas escolas e faculdades continuam fechadas. O patrulhamento tem sido feito por 1,2 mil homens Forças Armadas e pela Força Nacional, e o efetivo deve chegar a quase 1,9 mil nesta quinta.

Cento e uma pessoas morreram de forma violenta no estado desde sábado (4), quando começou o protesto de familiares de PMs que impedem a saída dos policiais dos batalhões. Os números são do sindicato da Polícia Civil. O governo não tem divulgado balanços.

GREVE

Os familiares pedem reajuste salarial para os PMs, que é proibida de fazer greve. O governo diz não ser possível atender o pedido e acusa algumas lideranças movimento de fazer chantagem.

Uma reunião na quarta-feira (8) entre os manifestantes e o governo do estado terminou sem acordo. Um novo encontro está marcado para as 14h desta quinta, com a contraproposta do governo.

REFORÇO

O governo federal anunciou ontem o envio de mais 550 homens das Forças Armadas e 110 da Força Nacional, composta de militares de outros estados. Eles vão se juntar aos mil militares do Exército e 200 da Força Nacional que atuam no Espírito Santo desde o início desta semana. Duzentos homens da Aeronáutica que fazem parte do reforço chegaram na noite de quarta a Vitória.

Os comentários estão fechados.