Educação e acolhimento de crianças e adolescentes são pautas do Congresso Integrador do Ministério Público

Com o tema “Um olhar mais atento sobre as instituições de acolhimento e unidades de internação e semiliberdade de adolescentes”, a promotora de justiça, Eliana Bloizi, ministrou palestra em evento do Ministério Público. As atividades, que aconteceram no auditório da UESC, de quarta-feira (23) a sábado (26) integram o III Congresso Nacional Diversidade, Ética e Direitos Humanos/ I Congresso Integrador Nacional do Programa o MP e os Objetivos do Milênio/ a XVI Semana Jurídica da Universidade Estadual de Santa Cruz.

Eliana Bloizi – Promotora de Justiça.

Eliana Bloizi destacou que são necessárias mudanças nas metodologias e normas legais que regulamentam o acolhimento de crianças e adolescentes. “Estamos sempre trabalhando com as consequências, como a criminalidade e a falta de instrução, só que é imprescindível que direcionemos o nosso foco de trabalho para a causa. Percebemos, através dos estudos apresentados, que existem problemas na sociedade que precisam ser tratados emergencialmente, a exemplo dos vícios em drogas, violência contra a criança, a falta de profissionalização e boa educação para aquelas crianças e adolescentes que estão institucionalizados”, destacou. Ainda segundo a promotora, “os acolhidos precisam ter dignidade e direitos preservados, para que eles possam tornar a sociedade mais saudável”, acrescentou.

Professor Roberto Macedo.

Na oportunidade, o professor da UFBA, Roberto Sidnei Macedo discutiu amplamente a aprendizagem infantil e lançou o livro “Devir e Educação: Afirmação do Direito da Criança (Aprendizagem) Formação”. O ciclo de eventos encerrou na manhã de sábado (26), no auditório da UESC, com a premiação da “Melhor Escola Pública do Ano”, promovida pelo programa O Ministério Público e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e a Fundação Escola Superior do Ministério Público.

Os comentários estão fechados.