Droga achada em maior apreensão no Nordeste estava enterrada em cisternas

Bahia – A maior parte dos 761 kg de cocaína e 130 kg de maconha apreendidos pela Polícia Federal em um condomínio de classe média estava enterrada em cisterna no município de Mata de São João, no Litoral Norte do estado, há 420 km de distância de Itabuna.

Segundo a polícia, esta foi a maior apreensão de cocaína realizada no nordeste do país. Duas pessoas foram presas e levadas para a cadeia pública de Salvador. A ação ocorreu na manhã de quarta-feira (9) e contou com a participação de 20 policiais. O delegado Leonardo Almeida Rodrigues, chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes, informou que o restante da droga estava escondido em outros quatro veículos.

Foto: Divulgação/Polícia Federal.
Foto: Divulgação/Polícia Federal.

Recebemos a informação, por meio da nossa rede de colaboradores, que havia uma casa como ponto de estocagem de drogas. Primeiro abordamos um carro preto, que faria o transporte da carga. Depois, fomos até o condomínio onde encontramos parte da droga enterrada lacrada em uma cisterna de uma das casas. O resto estava dentro de carros, próximos a outra residência“, relata o delegado.

Na ação foram presos o motorista de um dos veículos que faria o transporte da carga, de 21 anos, além da proprietária da residência onde a droga estava enterrada, de 33 anos. Segundo a polícia, eles alegaram que só irão falar em juízo. A dupla irá responder por tráfico de entorpecentes e associação por tráfico. “Acreditamos que outras três pessoas estavam na casa, entre elas o marido dessa mulher. Eles fugiram“, completa o delegado.

Leonardo Rodrigues acredita que parte da droga seria comercializada em Salvador e municípios da região metropolitana. “Não sabemos ainda a origem, nem o destino. Ainda estamos investigando se tinha alguma ramificação, algum cartel por trás disso“, revela. Dos 761 kg de cocaína encontrados, pouco mais de 60 kg estavam prontos para consumo.

Os comentários estão fechados.