Esquema de pirâmide financeira na D9 lucrou cerca de R$ 200 milhões, diz Polícia

O golpe cometido por um esquema de pirâmide financeira em Itabuna (ver aqui) é estimado em cerca de R$ 200 milhões. A informação foi divulgada pela Polícia Civil em ação realizada nesta quinta-feira (3).

Segundo a Operação Gizé – nome em referência à cidade do Egito onde se encontra a maior pirâmide do mundo – os responsáveis pelo esquema, ligados à empresa D9, seguem foragidos. Conforme as informações, os criminosos atraíam as vítimas com a promessa de ganhar dinheiro com apostas em jogos de futebol.

As suspeitas aumentaram por conta do padrão ostentado incompatível com a renda dos acusados. Nos últimos meses, vítimas do esquema começaram a procurar a Polícia para denunciar o caso. Eles contaram que ao tentar sacar o dinheiro descobriam que tinham caído no golpe.

Ainda segundo a Polícia, nos mandados de busca e apreensão foram encontrados nos imóveis dos acusados um drone, um computador usado para armazenar informações bancárias das vítimas, além de um jet ski e uma moto de luxo.

Polícia Civil cumpre mandado de busca e apreensão contra a D9 em Itabuna

Uma operação realizada pela Polícia Civil cumpre, nesta quinta-feira, mandados de busca e apreensão contra um esquema de pirâmide financeira na cidade.. Segundo o blog apurou, Polícia já investiga há vários meses com o objetivo de combater fraudes envolvendo a prática criminosa promovida pela empresa D9, sediada no município.

A ação ocorre na cidade onde estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em escritórios e residências de envolvidos no esquema. Há indícios do cometimento de crimes tributários na atuação da empresa, crime contra a economia popular, com suposta formação de pirâmide, estelionato e crime de induzimento à especulação. Segundo informações, nesta sexta-feira será realizada uma coletiva para informar sobre a operação.